Colunistas

Corretíssimo

O governador Gladson Cameli foi bastante preciso quando comparou o presente ao final de uma guerra.

Embora bastante especulada a 3ª guerra mundial não veio, embora estejamos vivendo um clima bastante parecido como se a mesma houvesse ocorrido, posto que, o triunvirato Covid/dengue/alagação, para nós, acreanos, tem sido superlativamente impiedoso. Daí concordar com a comparação feita pelo governador Gladson Cameli, ao tempo em que esperamos que assim todos os nossos políticos, e em particular, o prefeito de Tião Bocalon assim considere.

Que o conjunto da nossa sociedade assim entenda é fundamentalmente importante, até porque, se assim não considerarmos, coletiva ou individualmente, estaremos contribuindo para o prolongamento de uma catástrofe que precisa ter fim.  

Sei das dificuldades que todas as unidades da nossa federação estão enfrentando, sejam as de ordens econômicas e, sobretudo, as decorrentes da Covid-19, mas às advindas da própria natureza, aqui me reporto às enchentes que atingem as nossas principais cidades, a se destacar Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Sena-Madureira, nas quais habitam quase 80% da população acreana, justiça seja feita, não esperávamos e nem merecíamos tamanho castigo.

Não podemos desperdiçar o tempo buscando culpados, e sim, buscando soluções, até porque, se assim não procedermos, nos tornaremos cúmplices do sofrimento pelo qual estamos passando, e mais cúmplices serão àqueles que tentarem tirar proveitos eleitorais da maior tragédia que o nosso Acre já passou.

Por se encontrar no mais elevado posto da nossa atividade política, confesso-me como testemunha do quanto tem feito o governador Gladson Cameli no sentido de amenizar o sofrimento dos seus governados, e isto antes que a fúria das águas dos nossos rios chegasse ao nível que chegou, ou mais precisamente, quando a Covid-19 sugeria ser o nosso maior desafio.

Em busca da vacina contra o coronavirus, a despeito das divergências entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Dória, o governador Gladson Cameli soube se sair como um verdadeiro diplomata, ouvindo e sendo ouvidos por ambos. Diversos governadores não foram capazes de tamanha proeza.

Na busca da vacina contra a Covid-19, independente de sua origem, o governador Gladson Cameli só atendia a um comando, o da ciência, e se não conseguiu na quantidade suficiente para imunizar todos os acreanos, este fato se deveu a sua escassez e a disputa mundial pelas vacinas.  

 De resto, resta ao conjunto de nossa sociedade continuar se prevenindo para não ser afetado pela Covid-19. Do contrário, quando as águas dos nossos rios baixaram de níveis voltaremos à situação anterior, até porque, o coronavirus não atende ideologias nem as enchentes dos rios, seja aqui ou alhures.

A 3ª guerra mundial não veio, mas algo parecido está acontecendo no mundo e aqui no Acre, fruto do maldito triunvirato: Covid/dengue/enchentes. 

 

Artigos Publicados

Assintomáticas

Um novo fim

Sem alternativa

Encrencadas

Vacinas/já