Colunistas

2ª onda de Covid-19

      Na Europa e nos EUA a 2ª onda de Covid-19 já chegou e dela nos encontramos ameaçados.

Até que seja descoberta uma ou várias vacina contra a Covid-19 o que esperamos com a máxima brevemente, nenhum ser humano estará livre de sua contaminação e da sua própria morte, posto que, estamos a tratar de um vírus altamente contagioso e letal. Ainda bem que os melhores centros científicos do mundo estão mobilizados para combatê-lo, e por certo, irá enfrentá-la com bastante sucesso. 

Enquanto uma de suas vacinas não forem descobertas e comprovada a sua eficácia e segurança restam-nos apenas nos prevenirmos. Caso contrário, a mortandade humana irá continuar. Registre-se que mais de 1.200.000 vidas humanas já foram perdidas e apenas no nosso país o número de óbitos já ultrapassou o trágico patamar de 160.000 brasileiros.

Ainda que não tenhamos chegado a uma 2ª onda, até porque, a 1ª onda ainda não chegou ao seu fim, daí advém à imperiosa necessidade de redobrarmos todos os cuidados, posto que, a curva de contaminados e de mortes por Covid-19, no nosso país, continua num platô bastante alto e ultimamente voltou a crescer. Para tanto basta observarmos as informações publicadas pelo próprio Ministério da Saúde e pelo consórcio de vários veículos de comunicação que publicam seus resultados.  

Não existe remédio contra a Covid-19, apenas prevenção. Portanto, quem não se prevenir poderá se tornar alvo de sua comunicação. Portanto, não poderemos emprestar os nossos ouvidos para os negacionistas e menos ainda para uns bandos de irresponsáveis que prescrevem determinados remédios, entre eles, a tal cloroquina. 

Não participar de aglomerações, usar permanentemente máscaras e lavar as mãos sempre que tocar em quaisquer objetos estranhos são as  mais eficazes medidas preventivas e que se encontram ao alcance de todos. Portanto, previna-se. 

Faltam poucos meses para que, no mínimo, várias vacinas estejam à disposição da humanidade. Dito isto, venha de onde vier, desde que recomendada pela OMS-Organização Mundial de Saúde, vacine-se, posto que, a Covid-19 não segue ideologia e nem obedece fronteiras. 

Quatros das muitas vacinas já se encontram em estágio bastante avançado, sobretudo em quatro países: China, Reino Unido, Rússia e EUA e em quase todas elas, o Brasil se faz presente, através dos nossos conceituadíssimos centros científicos, entre eles o Instituto Butantan e Fiocruz. De certo uma coisa: o número de contaminados e de mortes, no mundo e no Brasil voltou a crescer. Que todos nós, fiquemos avisados.  

 

Artigos Publicados

Estímulos nocivos

Democracia em baixa

Medo

Mudança

Regra é regra