Colunistas

Certamente

A vacina contra a Covid-19 já está a caminho e a sua descoberta não tardará. Melhor notícia, impossível.

Neste indesejável campeonato de notícias ruins que, já há bastante tempo, vinha nos angustiado, e o mais grave, dando-nos a impressão que seus estoques seriam inesgotáveis, eis que começaram a surgir às boas e esperadas notícias, entre elas e a se destacar, a descoberta de uma vacina contra o coronavírus. Apenas no nosso país, em poucos meses, a Covid-19 já levou mais de 80.000 brasileiros a óbito, numa média diária superior a mais de 1.0000 mortes. Permita-me, sem ser mal interpretado, estávamos submetidos a um verdadeiro genocídio.

Portanto, as nossas autoridades políticas e sanitárias, tanto as nossas quanto as de todos os países do mundo que se emprenharam na descoberta de uma vacina contra a Covid-19, nossas eternas gratidões, posto que, sem sua descoberta, milhões de vidas humanas ainda seriam ceifadas e, muito provavelmente, em proporções ainda maiores.  

Em experimento, no Brasil e mundo afora, mais de 150 centros científicos buscam descobrir a referida vacina, e alguns deles já alcançaram resultados altamente animadores, e o mais importante, algumas delas já passaram pelos mais exigentes e indispensáveis testes clínicos. Na luta contra o coronavírus, a exceção dos negacionistas, todos sairemos vitoriosos, isto porque, fora da ciência jamais conseguiríamos enfrentar a Covid-19, exatamente a doença derivado do coronavírus. Bingo!

Tão certo como 2+2=4, ao ignorarem a ciência, seus protocolos e suas indispensáveis recomendações os negacionistas prejudicaram demasiadamente a luta contra o coronavírus, sobretudo, aqueles que o utilizara como instrumento para as ações político-eleitoreiras. A propósito, o próprio presidente dos EUA, Donald Trump chegou a compará-lo a uma gripe. Lamentavelmente, seguindo as suas pegadas, de igual jeito e maneira, assim também e infelizmente, o presidente Jair Bolsonaro se comportou.  


Ao assim proceder, ao invés dos presumíveis ganhos eleitorais que imaginavam obter, o presidente Donald Trump não apenas pôs em risco a sua própria reeleição, como antecipou a sua própria derrota, posto que, ao transformar os EUA no epicentro mundial da Covid-19 e no país a contabilizar o maior número de contaminados e de mortes derivadas pela Covid-19, as  chances de sua reeleição não mais existirão. Por mais uma vez, a esperteza irá engolir o próprio esperto.


 

Artigos Publicados

Um já ruiu

Regime do capeta

Lamentavelmente

Direito/dever

Senhores internautas!