Colunistas

Após denúncias, governador declara guerra à corrupção

Alguns dias após várias denuncias ,  apresentadas pelo vice-governador Wherles Rocha (PSL) e o deputado federal Léo Brito (PT), o governador Gladson Cameli (PP) se reuniu com o procurador da República no Acre, Humberto Aguiar Júnior, na sexta-feira, 11 e declarou guerra à corrupção.

O governador solicitou apoio do Ministério Público Federal (MPF) na processo de fiscalização e combate aos ilícitos que venham a ser praticados na estrutura governamental. Cameli reafirmou, ao lado de membros do governo, que não tolera corrupção na administração pública.

Cameli garante ter firmado  compromisso com a população acreana e, segundo ele, vem cumprindo com sua palavra. “Quem tentar, pagará as consequências dentro daquilo que determina a nossa legislação. A presença do Ministério Público Federal é fundamental neste processo e estou aqui, juntamente com minha equipe, para pedir apoio”, afirmou.

Segundo o governador, sua equipe tem priorizado a transparência em suas ações. Devido ao ano atípico, marcado pela pandemia do coronavírus, Gladson convidou os órgãos controladores para supervisionar os gastos do governo no enfrentamento a doença.

Durante este período, o número de leitos foi ampliado, equipamentos e insumos adquiridos, e dois novos hospitais construídos em menos de 60 dias. O Acre figura entre os estados brasileiros que não registraram casos de corrupção na aplicação dos recursos específicos destinados ao combate à Covid-19.

Segundo Humberto Aguiar, o pedido feito por Cameli reforça a função constitucional atribuída ao Ministério Público Federal. “A proposta de diálogo, de inserir o Ministério Público Federal, junto com os órgãos estaduais, para evitar riscos, mitigar eventuais questões e atuar de maneira preventiva no combate à corrupção”, afirmou o governador.

Grande perda

Vítima de complicações provocadas pela Covid-19, morreu na madrugada deste sábado, 12, o desembargador aposentado, Jorge Araken, 84 anos. Ele estava internado em um dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Juliana, em Rio Branco. Perde o Acre, um homem íntegro, humilde e intelectual.

Causa morte

A causa da morte, divulgada em uma rede social de Jorge Araken Filho, foi falência pulmonar e renal. Araken tinha 83 anos e a saúde debilitada desde 2012, quando foi acometido de uma gravíssima infecção óssea.

Condecoração

Em 2015, Araken recebeu a Comenda do Cinquentenário, instituída por ocasião de 50 anos do Ministério Público no Acre e concedida, como forma de reconhecimento, a autoridades que contribuíram para o engrandecimento do MP Estadual.

Ele vai fazer falta

Jorge Araken viveu entre os livros, nunca deixou de ser ético, nasceu para ser professor e tinha a magistratura no coração e a advocacia na mente privilegiada. Portanto, não tenho dúvida: ele vai fazer muita falta.

Nota de pesar

Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJ-AC), desembargador Francisco Djalma, e a Academia Acreana de Letras (AAL) editaram nota de pesar comunicando à classe forense, à comunidade acdêmica e ao público em geral o falecimento do desembargador aposentado Jorge Araken. Dalma decretou luto oficial por três dias.

Trajetória

Araken foi desembargador de 1968 a 1985 e o primeiro a presidir o TJ por dois mandatos (1974 – 1975 e 1984 – 1985). À época, o Tribunal de ustiça do Acre era composto por apenas cinco desembargadores. Nascido no Rio de Janeiro (RJ), ele tinha 84 anos e deixa três filhos e três netos.

Privatização

O Tribunal de Contas da União (TCU) deu aval nesta primeira semana de dezembro para a realização da 6ª rodada de concessões de aeroportos, incluindo os de Rio Branco e Cruzeiro do Sul.

Três blocos

Divididos em três blocos, serão leiloados 22 ativos das regiões Sul, Norte e Centro-Oeste. Caso a proponente opte por formação de consórcio, um dos membros deve ser operador aeroportuário com participação mínima de 15% e experiência comprovada.

Orçamento-2021

Presidente da Comissão de Orçamento e Finanças (COF) da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Chico Viga (PHS) realizou nesta quinta-feira, 10, audiência pública sobre o orçamento do Estado para 2021.

Tirando dúvidas

Secretário de Planejamento e Gestão (Seplag), Ricardo Brandão, afirma que o objetivo da discussão é esclarecer alguns pontos tidos como obscuros. Ele quer tirar todas as dúvidas dos deputados sobre o orçamento geral do estado.

Realista

A Seplag reafirma que propõe “orçamento realista”. Algumas medidas políticas como a devolução do sistema de água e esgoto para a Prefeitura de Rio Branco devem promover redução de gastos e promover a execução adequada do orçamento.

Corte de despesas

Um mapeamento dos imóveis públicos está sendo realizado para avaliar gastos objetivos apenas com os que estão em uso pelo Governo do Estado. Há imóveis utilizados pelos municípios, os quais, diz Brandão, terão de pagar a conta de luz, por exemplo.

Energia solar

A implantação de uma usina solar pretende economizar R$ 12 milhões com energia elétrica. A auditoria na folha de pagamento deve promover redução de 1,5% a 5% no gasto de pessoal – ou R$ 52 milhões ao ano a menos no menor índice.

Mais economia

Várias outras medidas podem ser debatidas, como os advogados dativos e precatórios. A integração de compras governamentais, realizando grandes aquisições para abastecer a máquina é medida que deve trazer economia também.

Conter evasão fiscal

O secretário da Fazenda, Rômulo Grandidier, disse que está atuando fortemente na contenção da evasão fiscal e isso tem melhorado a arrecadação.  Mesmo em tempos de crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, o governo quer aumentar a arrecadação.

Estimativa furada

Deputado Daniel Zen diz que há dados na proposta orçamentária que destoam da realidade. O Estado errou “feio” na estimativa da receita estimada e realizada e “as projeções não estão corretas”, disse o parlamentar.

Questionamento

Deputado Edvaldo Magalhães (PC do B) questionou a existência de dinheiro no caixa do Governo do Estado em tempos de pandemia. O parlamentar criticou a situação previdenciária, cujo déficit não diminuiu e uma nova discussão terá de feita.

Suplementação

Deputado Roberto Duarte (MDB) questionou o grande número de suplementação orçamentária, o que sugere ineficiência no planejamento. Ele quis saber também por que o Governo usa a reserva de contingência para destinar R$ 12 milhões às emendas parlamentares.

Não haverá redução

O deputado Pedro Longo (PV) pediu compreensão com os poderes para evitar maiores problemas. O secretário Ricardo Brandão afirma que não haverá redução no repasse aos poderes. Outros deputados também fizeram questionamentos acerca do orçamento.

Luto no futebol

Zagueiro Cleiber Amaral, que foi o xerifão da zaga do Rio Branco, no fim dos anos de 1970 e início dos anos de 1980, morreu nesta sexta-feira, 11, vítima de covide-19. Cleiber jogou em outros clubes do Acre, entre os quais Juventus e Atlético Acreano. Ele começou a carreira em Manaus, sua cidade natal. Ele nunca exerceu cargo eletivo, mas tina visão ampla sobre politica.

Artigos Publicados

O saldo positivo da vinda de Bolsonaro ao Acre

Comitê mantém Acre na bandeira vermelha