Colunistas

Mara Rocha é contra aumento na conta de energia elétrica

Deputada federal Mara Rocha (PSDB-AC) ocupou a Tribuna da Câmara dos Deputados, Na tarde dessa quarta-feira, 09, para se pronunciar contra o aumento na tarifa de energia elétrica no Acre, autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A parlamentar tucana informou que, em na 46ª Reunião Pública Ordinária da Diretoria da Aneel, ocorrida na manhã da terça-feira, 08, foi autorizado o aumento médio de quase 3%, enquanto Rondônia teve um decréscimo nos valores de sua tarifa.

“Hoje o Acre foi surpreendido com um aumento de 3,42% para os consumidores de alta tensão e 2,86% para os consumidores de baixa tensão.  Enquanto isso, nosso vizinho, o Estado de Rondônia, foi premiado com uma redução, justa, de – 11,29%.”, afirmou.Segundo a diretoria da Aneel, a redução na tarifa de Rondônia foi possibilitada por causa da conta covid, empréstimo criado para o setor por causa do impacto da pandemia, e da MP do setor elétrico (medida provisória 998), assinada em setembro com o objetivo de reduzir a conta de luz nos Estados da região Norte. “A minha pergunta é: será que o Acre não faz mais parte da Região Norte?”, enfatizou a parlamentar.

Mara Rocha aproveitou o ensejo para solicitar o apoio do plenário da Câmara Federal para a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Aneel: “Essa CPI foi pedida pelo deputado Leo Moraes, em dezembro de 2019 e até agora não foi instalada. É preciso investigar a cumplicidade da Agência com as empresas distribuidoras de energia. Precisamos garantir que a Aneel cumpra seu papel institucional e pare de cumprir o papel de advogada da Energisa”, finalizou. A deptuada acreana classifica o aumento como um escárnio e um golpe contra os consumidores acreanos, sobretudo os que estao desempregados ou sobrevivendo de ocupações temorárias

Grande perda

Secretária de Comunicação do governo, jornalista Silvânia Pinheiro está fora do governo. Ela tentou sair duas vezes, mas acabou atendendo pedido do governador e permaneceu, mas agora é pra valer, sem volta.

Dose dupla

O governo também perdeu o chefe do Gabinete Civil, advogado Ribamar Trindade. Ele afastou-se do governo para ser empossado como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), na vaga deixada por José Augusto de Faria, mas uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) barrou a posse.

Parceria

Governador Gladson Cameli (PP) firmou parceria com o governador de São Paulo, João Dória Junior (PSDB) para aquisição da coronavac, a vacina contra o novo coronavírus, que provoca a covid-19.

Batantan

A Vacina será produzida em parceria entre uma empresa multinacional da China e o Instituto Butantan, controlado pelo governo paulista. Dez governadores á firmaram acordo com o governo de São Paulo para aquisição da vacina.

Formalização

A solicitação do chefe do executivo acreano foi formalizada com a presença do secretário de saúde do Estado, Alysson Bestene, e o presidente do Instituto responsável pela Vacina, Dimas Covas. 

Prioridades

Serão disponibilizados mais de quatro milhões de doses para os Estados que solicitaram a vacina produzida em parceria com a China que inicialmente será destinada aos profissionais de saúde.

Início da campanha

Mesmo sem a devida autorização da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o governador João Doria, já definiu que 25 de janeiro é a data inicial para o início da campanha de imunização.

Acordo não cumprido

Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac) divulgou uma nota onde acusa o governo do estado de não cumprir acordo para o pagamento do auxílio temporário no valor de R$ 420,00 e a dobra da insalubridade.

Prorrogação

A prorrogação dos benefícios foi anunciada pelo governo no último dia 26 de novembro e, de acordo com o sindicato, já completam dois meses sem que os servidores recebam o auxílio.

Vai pagar nesta sexta

O governo, por meio da Secretaria de Comunicação, garante fazendo os procedimentos de folha para que os profissionais da saúde e segurança recebam a insalubridade nesta sexta-feira, 11.

Legal e legítimo

Em entrevista a este colunista, no programa RB Notícia, nesta quarta-feira, 9, ao vivo, na TV Rio Branco, a  superintendente da RBTrans, Sawana Carvalho, afirmou que, o aporte financeiro na ordem de R$ 2,4 milhões às empresas que operam o sistema de transporte coletivo na capital, é legal e legítimo.

Subsídio

Sawana aproveitou o espaço na “Tribuna Popular” e explicou que os R$ 2,4 milhões serão remanejados da cota do subsídio dos estudantes de R$ 1 real que tem total de R$ 6 milhões ao ano, já que nesse ano não houve aulas devido à pandemia da Covid-19.

Amparado pelo MP e TCE

“Esse acordo foi apresentado e firmado no Poder Judiciário com anuência do Mistério Público e Tribunal de Contas do estado e a prefeitura irá aportar R$ 2,4 milhões para o pagamento da folha dos trabalhadores do sistema de transporte coletivo”, destacou Sawana.

Questionamentos

Mesmo assim, os vereadores Emerson Jarude (MDB) e Rodrigo Forneck (PT) criticaram o que classificam como “falta de transparência” da prefeitura e da prefeita Socorro Neri (PSB) por pedir um aporte desse tamanho sem sequer mandar o Projeto de Lei (PL) à Câmara de Rio Branco.

Ato público

Dezenas de motoristas interditaram na manhã desta quinta-feira, 10, a entrada da Câmara de Rio Branco. Queriam pressionar os vereadores a aprovar Projeto de Lei que trata do aporte de R$ 2,4 milhões às empesas de transporte coletivo. Eles perderam tempo, pois as sessões são on line.

 

 

 

 

Artigos Publicados

O saldo positivo da vinda de Bolsonaro ao Acre

Comitê mantém Acre na bandeira vermelha

Variável pode tornar vacina sem efeito