Colunistas

Importantes, sim.

As pesquisas são fundamentalmente importantes  para execução de todo e qualquer planejamento

    Reporto-me as pesquisas técnicas e cientificamente e elaboradas por profissionais e empresas devidamente qualificadas. Entretanto, excluo liminarmente àquelas cujos resultados são adrede manipulados e com o objetivo de atender aos interesses de quem as encomendam. Na nossa atividade política a manipulação de pesquisas já se tornou uma constante.    

   Toda e qualquer ciência, e em suas múltiplas especificidades, são precedidas de experimentos e seguidas de cuidadosas pesquisas. Vejamos o que faz e com elogiosa proficiência o IBGE-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Graças as suas pesquisas, sabemos quantos somos e como agimos independente de raça, credo e condição social. Isto só tem sido possível em razão dos seus resultados. Neste espaço reporto-me a Covid-19 e as suas nefastas conseqüências. No Brasil, 600.000 mortes já foram contabilizadas.    

    As vacinas contra toda e qualquer doença infecto contagiosa, e em particular, contra a Covid-19, justamente por tê-la posto o mundo em estado de pânico, vacinas não surgiram de uma hora para outra, e sim, fruto do excepcional desempenho dos nossos renomados epidemiologistas e dos mais importantes centros científicos do mundo. Das pesquisas, sobremaneira.     

    Lamentavelmente, no nosso avacalhado ambiente político, a proliferação de pesquisadores e de empresas igualmente falaciosas, transformaram as pesquisas numa mercadoria, pois nelas não prevalece à ciência, apenas o preço. Para um candidato aparecer bem posicionado, e por vezes, em primeiro lugar, em determinadas pesquisas, só depende do preço que o contratante se disporá a pagar.

     A nossa legislação eleitoral não poderá permitir que tais pesquisadores continuem divulgando seus falaciosos resultados, quando em jogo se encontra as escolhas dos nossos representantes políticos. Pior ainda: muitos  conseguem se eleger influenciados por pesquisas grotescamente fraudadas.  

    Se de um médico é cobrado a sua inscrição no seu corresponde Conselho Federal de Medicina, de um advogado que seja inscrito na OAB e de um engenheiro, sua inscrição no CREA, não poderemos permitir que as pesquisas sejam realizadas e publicadas por pessoas e por empresas desprovidas dos devidos e indispensáveis conhecimentos.   

    Nos países politicamente avançados, essa canalhice não existe, pois suas populações, e em particular, seus eleitores, não lhes dão o menor crédito. Creio e oriento-me nas pesquisas, até porque, na minha formação profissional aprendi o suficiente para lhes dar crédito, mas jamais em dados colhidos por  bandos de imbecis que se prestam a vender resultados conforme encomendados, e que trabalham à soldo As tais pesquisas sequer me dou ao trabalho de criticá-los.

                                 

Artigos Publicados

Corrupção

Ledo engano

Único

Por que existem?

Guerra fria