Casos de Meningite no Acre: 29 suspeitas, sete confirmações e três mortes

Por Wanglézio Braga

A Saúde do Acre deve ficar em alerta. Os casos de Meningite Bacteriana (Meningocícica) vem aumentando consideravelmente e preocupando médicos e autoridades do setor clínico. De acordo com o último Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SESACRE) 29 casos suspeitos de Meningite foram notificados no Acre. Até o momento, sete deram positivo para a doença e três pessoas já morreram.

No ano passado, o Acre atestou 60 notificações da doença sendo que 29 deram positivo. Foram 14 de meningite não especificadas, 11 de bacteriana, duas de viral e outras duas de outras etiologias.

O último caso notificado pela SESACRE diz respeito a uma paciente de 37 anos, da cidade de Feijó. Ela foi transferida,neste final de semana, para o Pronto Socorro de Rio Branco. Ela está alojada numa ala isolada assim como outras pessoas diagnosticada com a doença. O quadro dela não foi informado pela direção da unidade.  

O contágio se dá, geralmente, por meio das vias respiratórias, por gotículas, secreções do paciente e contato íntimo (residente da mesma casa, pessoas que compartilham o mesmo dormitório ou alojamento). A propagação também é facilitada em ambientes fechados sem ventilação e é potencializada nos meses mais frios do ano.

A doença

A meningite é uma inflamação das meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro. Existem diversos tipos de meningite, e para cada um deles há causa e sintomas específicos. Meningite viral ;Meningite bacteriana; Meningite fúngica.

A maioria dos casos de meningite é provocada por vírus ou bactérias, mas a doença também pode ser transmitida via fungos. Outros fatores também podem desencadear num quadro de meningite, como alergias a determinados medicamentos, alguns tipos de câncer e também inflamações.

Sintomas

Os primeiros sinais de meningite, quando manifestados, são facilmente confundidos com os sintomas típicos da gripe. Eles geralmente aparecem de algumas horas até dois dias após a infecção.Os sintomas mais comuns da meningite são: Febre alta repentina, Forte dor de cabeça, Pescoço rígido, Vômitos, Náusea, Confusão mental e dificuldade de concentração, Convulsões, Sonolência, Fotossensibilidade, Falta de apetite, Rachaduras e presença de manchas vermelhas na pele.

Prevenção e Vacinação

Há diversas formas de prevenção. Entre elas estão: manter os ambientes bem ventilados; lavar as mãos com frequência com água e sabão; manter objetos higienizados; e evitar confinamentos e aglomerações. Além disso, é de extrema importância manter a carteira de vacinação em dia.

Existem três vacinas contra meningite meningocócica no país, mas o SUS disponibiliza apenas a vacinação contra o subtipo C. Conforme o Ministério da Saúde, esse é o tipo mais frequente da doença, responsável por 60% dos casos.

As demais vacinas (contra B, A, W e Y) estão disponíveis no Brasil em clínicas particulares, com preço médio de R$ 300 a dose. São duas: uma contra a meningite meningocócica B e outra contra as meningites meningocócicas A, C, W e Y – ou seja, trata-se de uma vacina quadrivalente.