Ministério vai consultar, via telefone, os acreanos sobre Doenças Crônicas e fatores de risco

Por Wanglézio Braga

A partir desta semana os acreanos serão consultados a pedido do Ministério da Saúde sobre uma pesquisa que mede fatores de risco e de proteção a doenças Crônicas não transmissíveis. A Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL 2020) vai questionar sobre diabetes, cânceres, doenças respiratórias, doenças no coração e também obesidade. A projeção é ouvir cerca de 27 mil pessoas.

Rio Branco, Brasília e as outras capitais estão dentro do cronograma do MS para questionar sobre hábitos alimentares e estilo de vida. Também são verificadas a frequência e o diagnóstico médico de hipertensão arterial e diabetes, bem como a realização de exames de mamografia e de papanicolau.

Brasileiros com mais de 18 anos podem receber uma ligação de um pesquisador do Ministério da Saúde e serem convidados a responder um questionário que dura cerca de 10 minutos. As ligações serão feitas das nove horas da manhã às nove horas da noite, do horário de Brasília, se segunda a sexta-feira, e das 10 horas da manhã às quatro horas da tarde aos sábados, domingos e feriados.

O resultado dessa pesquisa ajuda na elaboração das políticas públicas e estratégias de saúde adotadas para cuidar da população, como explica Eduardo Macário, diretor de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis do Ministério da Saúde.

“Vale ressaltar que a participação na pesquisa é voluntária e não será perguntado nenhum dado relacionado a documentos pessoais, como CPF, RG ou mesmo dados bancários. As únicas informações pessoais que serão solicitadas será a idade, o sexo, a escolaridade, o estado civil e raça ou cor”, comenta o MS.