Fundação Hospitalar se prepara para zerar fila de cirurgias bariátricas

Ser magro não significa, necessariamente, ser uma pessoa saudável, bem como ser considerado acima do peso não significa estar doente, mas o problema está quando o peso, para mais ou para menos, passa a resultar em doenças que comprometem a qualidade de vida.

Em relação aos casos mais graves de obesidade, as mudanças alimentares e a prática de atividades físicas acabam não sendo suficientes para a perda de peso e a melhoria na qualidade de vida. Nestas situações, apenas uma intervenção médica mais efetiva, como a cirurgia bariátrica, que reduz o tamanho do estômago, pode resolver. Por isso, o governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), se prepara para intensificar as cirurgias desse tipo, a partir da semana que vem, como informou o presidente da Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre), Lauro Melo.

“Estamos tratando cada especialidade com a devida atenção, dialogando com os responsáveis de cada setor, reunindo informações e demandas e priorizando soluções, em comum acordo com os representantes, apesar das dificuldades de gestão, acumuladas por tantos anos. Com o Departamento de Coordenadoria de Obesidade e Qualidade de Vida, não está sendo diferente”, destaca.

Ainda de acordo com Melo, a equipe, formada por médico especialista, gestores da Fundhacre e assessores da Sesacre, vem se reunindo para retomar à rotina, que não ocorria desde julho em virtude de algumas burocracias, como aquisição de insumos, preparação da sala cirúrgica, reserva de leito e apoio ao paciente. Até outubro de 2019, já foram realizadas 12 cirurgias bariátricas na unidade, nove a mais em relação ao ano passado, durante a gestão passada. Apenas cinco pacientes aguardam, hoje, pelo procedimento no Acre.

Melo informa que a 13ª cirurgia já está programada para a próxima semana e o objetivo é finalizar a pendência de mais quatro casos. “Há muito o que fazer ainda para oferecer melhores instalações, materiais e equipamentos, bem como ampliar o atendimento. Para isso, foram registrados os déficits de materiais, mobiliários, manutenção de outras salas cirúrgicas e, por fim, contratação de especialistas e priorização de profissionais que permitam alcançar resultados mais satisfatórios. O apoio do governador Gladson Cameli e da Sesacre estão sendo fundamentais para a superação das limitações financeiras e para a aprovação da minuta da nova proposta orçamentária, em atenção ao povo acreano”, observa.

Os pacientes que precisam do atendimento podem buscar auxílio dentro da rede de saúde do Estado. Por meio de encaminhamento, a pessoa pode marcar consultas com especialistas que auxiliam no controle de peso, como nutricionista, endócrino, e nos casos mais graves, os médicos recomendam a utilização de medicamentos e até mesmo cirurgias.

Vale destacar que, para combater a obesidade e prevenir doenças como a hipertensão, hipertrofia ventricular, apneia, depressão, diabete tipo 2, a forma mais simples é a adoção de práticas saudáveis, como uma alimentação adequada acrescida de alguma atividade física. No estado do Acre, a população dispõe de parques e academias ao ar livre para a prática de atividades físicas, sem custo.

 

Agência