Prefeito Márcio Batista acompanha obras finais da creche do Cabreúva

O Residencial Cabreúva já ganhou uma unidade básica de saúde e até o próximo dia 15 de julho, os moradores recebem uma creche para 220 crianças. A previsão foi anunciada nesta quarta-feira, 10, pelo prefeito de Rio Branco em exercício, Márcio Batista, que realizou uma inspeção às obras finais da creche. “Estamos trabalhando para garantir mais vagas no ensino para nossas crianças”, disse Batista, que é também secretário de Educação do Município. A secretária de Obras Pública, Claudia Cunha, e o presidente da União das Associações de Moradores de Rio Branco (UMARB), Gilson Albuquerque, além do diretor de Ensino da Secretaria Municipal de Educação (SEME), Hildo Montysuma, acompanharam o prefeito durante a vistoria as obras.

 

A obra tem um valor contratado de R$ 1.776.451,21 em recursos próprios e do Ministério da Educação. Com capacidade para 220 crianças, quando estiver pronta a creche terá duas salas para a ´Creche I´ com capacidade para 16 crianças e será dotada de fraldário e banheiro. Terá ainda duas salas para ´Creche II´, também com capacidade para 16 crianças e terá espaço para repouso e banheiro e ainda duas salas para ´Creche III´, com capacidade para 24 crianças, além de duas salas para pré-escola, com capacidade para 48 crianças. As nove creches que estão em obras, juntamente com a creche do Angico inaugurada no mês de abril, vão proporcionar 2200 novas matriculas para creche e pré-escola. A novas unidades estão sendo construídas pela prefeitura em parceria com o Governo Federal, por meio do Programa Brasil Carinhoso.

 

A creche, que está quase pronta, possui oito salas de aula, pátio, solários e deverá entrar em pleno funcionamento na metade de julho. Márcio Batista aproveitou para visitar a Unidade de Saúde da Família, que atualmente atende cerca duzentas famílias do Cabreúva e entorno. Mas não é só isso: o Cabreúva recebe especial atenção do Poder Público. A Empresa Municipal de Urbanização (EMURB) realizou uma grande ação de drenagem das águas que se acumulavam nas ruas e melhorou os acessos ao bairro.

 

Asscom


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.