Nazaré assume governo 50 anos depois de seu pai ser deposto pelo Regime Militar

Antonio Muniz

A governadora em exercício Nazaré Araújo concedeu entrevista à TV Rio Branco, nesta segunda-feira, 5, para falar dos avanços dos últimos quatro anos de gestão e apontar desafios para o quadriênio 2015-2018. Entrevistada pelo jornalista Astério Moreira, a governadora fez um balanço das ações do governo no setor de produção e indústria.

Nazaré Araújo (PT) assumiu o governo, interinamente, uma vez que o governador Tião Viana viajou. Filha do saudoso governador José Augusto de Araújo (PTB), Nazaré assume o mesmo cargo 50 anos depois de seu pai ser cassado pelo Regime Militar. Ela é a segunda mulher a governar o Acre, a primeira foi Iolanda Lima (PMDB) em 1986.

Eleito em 1962, aos 32 anos, José Augusto assumiu em março de 1963, mas ficou pouco mais de um ano, pois em maio de 1964, ele foi deposto. “Apesar de ter sido eleito de forma legítima e democrática pelo povo acreano, meu pai foi cassado pelo Regime Militar”, lamenta Nazaré.

Com base nos relatos de sua mãe, a ex-deputada federal Maria Lúcia, ela diz que José Augusto sofreu infarto ao ser interrogado na Auditoria Militar, em Belém. “Minha mãe foi chamada às pressas à capital paraense. Grávida de mim, ela fez uma promessa: se eu chegasse a conhecer meu pai, meu nome seria Maria de Nazaré. Meu pai escapou e minha mãe cumpriu a promessa”, afirma.

Assumir o governo do Acre, cargo que seu pai exerceu, para Nazaré é uma honra, um privilégio. Ela agradeceu ao governador Tião Viana por tê-la convidado e ao povo acreano que mais uma vez acreditou no projeto político-administrativo do PT e a Frente Popular. 

Em entrevistada, a governadora fez um balanço das ações do governo no setor de produção e indústria.  “Foram instaladas, no Acre, 78 indústrias na primeira gestão do governador Tião Viana, os parques industriais cresceram de três para 13 unidades. A cidade do povo que não estava prevista, em 2010, já está habitada por centenas de famílias e gera oportunidade de emprego e renda”, ressaltou.

Ainda sobre os avanços, foram citados os investimentos na área de ciência e tecnologia; educação e saúde. A integração dos municípios acreanos, por meio da conclusão da BR-364, também foi pauta da conversa com o apresentador, bem como as ações de gênero e políticas de assistência social desenvolvidas no Estado.

Como desafio para a próxima gestão, a governadora em exercício destaca a erradicação do analfabetismo. “Como o governador já anunciou, assumimos o compromisso de erradicar o analfabetismo entre jovens e adultos com mais de 15 anos. Isso casa muito com o que a presidenta Dilma Rousseff colocou: Brasil, Pátria educadora”, frisou.

Ao final da entrevista, Nazaré Araújo reforçou o compromisso com as políticas para as mulheres. “A visão de gênero também está posta dentre os objetivos de desenvolvimento do milênio. Nós vamos dar continuidade ao trabalho iniciado há quatro anos, onde 82% dos pequenos negócios, fomentados pelo Estado, tiveram como público mulheres”, finalizou.

(Foto Francisco Chagas)