Marcus Alexandre e Edvaldo Magalhães inspecionam obras do Ramais do Povo no Ramal da Castanheira

Apenas dois dias depois de seu lançamento, os programas Ruas do Povo e Ramais do Povo se mostram a todo vapor em Rio Branco. Para acompanhar de perto as frentes de serviço, o prefeito Marcus Alexandre e o presidente do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento do Acre (DEPASA), Edvaldo Magalhães, percorreram na manhã desta quarta-feira, 24, várias ruas do Ramal da Castanheira, na grande região da Vila Acre.

O Ramal da Castanheira é uma comunidade de transição entre as zonas rural e urbana – situação denominada tecnicamente de “rururbana”.  Por isso, o programa que atende aquela região é o Ramais do Povo, criado pelo governador Tião Viana para dar condições de acesso nas vias rurais do Acre. O DEPASA começou o trabalho no ano passado, e está aproveitando este início de verão para recuperar os prazos perdidos com o rigoroso inverno. De acordo com o engenheiro Marcos Vinicius, fiscal dos programas junto ao DEPASA, ao final do trabalho o Ramal da Castanheira terá 26 ruas pavimentadas e dotadas de rede de esgoto e drenagem. No total, são 6,5 quilômetros de ramal e ruas adjacentes totalmente asfaltados no trecho compreendido do Igarapé Santa Maria ao Ramal Palheiral. Esse trecho é cortado pela rodovia AC-40. O projeto prevê investimentos de R$8,6 milhões apenas nessa região.

O programa foi retomado há dez dias tão logo o verão se firmou, e lançado oficialmente pelo governador Tião Viana e o prefeito Marcus Alexandre na última terça-feira, 23. Pela parceria, entre outras ações, a Prefeitura de Rio Branco, através da Empresa Municipal de Urbanização de Rio Branco (EMURB), está responsável pela pavimentação de ruas dentro do Programa Ruas do Povo nos bairros Aeroporto Velho e Paz, além dos residenciais Carandá e Cabreúva, localizados na região da Baixada da Sobral.

Nos diversos municípios do Estado, o Ruas do Povo já chegou a 90% das metas estabelecidas dentro do programa, mas em Rio Branco o percentual é de 40% e, por isso, o foco nesta segunda etapa, será pavimentação e a infraestrutura, como drenagem, calçadas e redes de água e esgoto na capital pavimentando 400 ruas em 68 bairros. “Estamos aqui, no Castanheira, para acompanhar de perto os trabalhos e ficarmos à disposição da comunidade”, disse o prefeito nas várias conversas que manteve com os moradores.

A segunda etapa do programa irá gerar mais de 6,5 mil empregos diretos, com investimentos na ordem de R$ 260 milhões e acontecerá tanto em bairros onde o programa ainda não foi concluído como também naqueles que ainda não receberam o benefício. “Nossa determinação é aproveitar ao máximo o verão para recuperar o que não foi feito no período de inverno”, disse Edvaldo Magalhães, que não tem medido esforços para vistoriar as obras e garantir a qualidade necessária ao serviço.

Moradores muito satisfeitos: “valoriza nosso investimento”

Os moradores do Ramal da Castanheira vivem momentos de grande alegria pela chegada do verão e retomada, com força total, das obras do Ramais do Povo. Mas não é de agora a forte presença da Prefeitura: “aqui era tudo escuro e a Prefeitura veio e colocou iluminação pública, além de realizar reuniões frequentes com a população”, disse Gileade Santos, presidente da Associação de Moradores do Ramal da Garapeira, que foi ao Castanheira em apoio aos seus compatriotas. O Castanheira não constituiu seus líderes ainda.

José Guimarães da Cunha mora há vinte anos no Castanheira, onde mantém uma pequena taberna. “Agora ficou muito bom. O pessoal tem trabalhado bem”, disse ele, que gentilmente ofereceu café ao prefeito, ao presidente do DEPASA e a comitiva que os acompanhava.

Marcus Alexandre e Edvaldo Magalhães estiveram também na casa de dona Rose Alves Reis, moradora há 23 anos do Castanheira – uma das fundadoras do local -onde foram recebidos por ela e seu filho, Noecildo Alves Reis, que relatou os tempos de menino em que brincava no estreito ramal. “Já passamos poucas e boas aqui”, disse dona Rose, bem-humorada e declarando-se muito satisfeita pelas intervenções que levam mais qualidade de vida à comunidade.

Outro antigo morador, Antônio Onofre, tem uma opinião bastante pragmática sobre as ruas asfaltadas: “valoriza nosso investimento, o que a gente construiu aqui”, disse ele, mostrando a casa que construiu com muito esforço para a família.