Marcus Alexandre e Edvaldo Magalhães inspecionam obras do Ramais do Povo no Ramal da Castanheira

Apenas dois dias depois de seu lançamento, os programas Ruas do Povo e Ramais do Povo se mostram a todo vapor em Rio Branco. Para acompanhar de perto as frentes de serviço, o prefeito Marcus Alexandre e o presidente do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento do Acre (DEPASA), Edvaldo Magalhães, percorreram na manhã desta quarta-feira, 24, várias ruas do Ramal da Castanheira, na grande região da Vila Acre.

O Ramal da Castanheira é uma comunidade de transição entre as zonas rural e urbana – situação denominada tecnicamente de “rururbana”.  Por isso, o programa que atende aquela região é o Ramais do Povo, criado pelo governador Tião Viana para dar condições de acesso nas vias rurais do Acre. O DEPASA começou o trabalho no ano passado, e está aproveitando este início de verão para recuperar os prazos perdidos com o rigoroso inverno. De acordo com o engenheiro Marcos Vinicius, fiscal dos programas junto ao DEPASA, ao final do trabalho o Ramal da Castanheira terá 26 ruas pavimentadas e dotadas de rede de esgoto e drenagem. No total, são 6,5 quilômetros de ramal e ruas adjacentes totalmente asfaltados no trecho compreendido do Igarapé Santa Maria ao Ramal Palheiral. Esse trecho é cortado pela rodovia AC-40. O projeto prevê investimentos de R$8,6 milhões apenas nessa região.

O programa foi retomado há dez dias tão logo o verão se firmou, e lançado oficialmente pelo governador Tião Viana e o prefeito Marcus Alexandre na última terça-feira, 23. Pela parceria, entre outras ações, a Prefeitura de Rio Branco, através da Empresa Municipal de Urbanização de Rio Branco (EMURB), está responsável pela pavimentação de ruas dentro do Programa Ruas do Povo nos bairros Aeroporto Velho e Paz, além dos residenciais Carandá e Cabreúva, localizados na região da Baixada da Sobral.

Nos diversos municípios do Estado, o Ruas do Povo já chegou a 90% das metas estabelecidas dentro do programa, mas em Rio Branco o percentual é de 40% e, por isso, o foco nesta segunda etapa, será pavimentação e a infraestrutura, como drenagem, calçadas e redes de água e esgoto na capital pavimentando 400 ruas em 68 bairros. “Estamos aqui, no Castanheira, para acompanhar de perto os trabalhos e ficarmos à disposição da comunidade”, disse o prefeito nas várias conversas que manteve com os moradores.

A segunda etapa do programa irá gerar mais de 6,5 mil empregos diretos, com investimentos na ordem de R$ 260 milhões e acontecerá tanto em bairros onde o programa ainda não foi concluído como também naqueles que ainda não receberam o benefício. “Nossa determinação é aproveitar ao máximo o verão para recuperar o que não foi feito no período de inverno”, disse Edvaldo Magalhães, que não tem medido esforços para vistoriar as obras e garantir a qualidade necessária ao serviço.

Moradores muito satisfeitos: “valoriza nosso investimento”

Os moradores do Ramal da Castanheira vivem momentos de grande alegria pela chegada do verão e retomada, com força total, das obras do Ramais do Povo. Mas não é de agora a forte presença da Prefeitura: “aqui era tudo escuro e a Prefeitura veio e colocou iluminação pública, além de realizar reuniões frequentes com a população”, disse Gileade Santos, presidente da Associação de Moradores do Ramal da Garapeira, que foi ao Castanheira em apoio aos seus compatriotas. O Castanheira não constituiu seus líderes ainda.

José Guimarães da Cunha mora há vinte anos no Castanheira, onde mantém uma pequena taberna. “Agora ficou muito bom. O pessoal tem trabalhado bem”, disse ele, que gentilmente ofereceu café ao prefeito, ao presidente do DEPASA e a comitiva que os acompanhava.

Marcus Alexandre e Edvaldo Magalhães estiveram também na casa de dona Rose Alves Reis, moradora há 23 anos do Castanheira – uma das fundadoras do local -onde foram recebidos por ela e seu filho, Noecildo Alves Reis, que relatou os tempos de menino em que brincava no estreito ramal. “Já passamos poucas e boas aqui”, disse dona Rose, bem-humorada e declarando-se muito satisfeita pelas intervenções que levam mais qualidade de vida à comunidade.

Outro antigo morador, Antônio Onofre, tem uma opinião bastante pragmática sobre as ruas asfaltadas: “valoriza nosso investimento, o que a gente construiu aqui”, disse ele, mostrando a casa que construiu com muito esforço para a família.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.