Deputado quer saber o "paradeiro" da Secretaria de Saúde e ironiza Gladson: "GOVFLY"

Por Wanglézio Braga 

Fazendo uso da palavra na Assembleia Legislativa do Acre (ALEAC), o deputado Jenilson Leite (PCdoB) criticou hoje (25) o silêncio da Secretaria de Saúde do Acre (SESACRE), Mônica Feres, quanto aos problemas na pasta e da falta de diálogo com a população por conta dos casos de meningite. Ele também criticou que o governador Gladson Cameli, do PP, vive mais fora do Estado e esquece de resolver problemas básicos do Estado.  

No pequeno expediente, Leite diz que acha estranho a falta de iniciativa da Secretária em não dizer que medidas deve adotar para amenizar os problemas no Acre e os planos sobre a situação dos casos de meningite registradas no estado.     

"Estamos no meio de uma confusão por conta dos casos de Meningite! A gente não ver a secretária conceder uma entrevista, fazer uma nota, comentar nada, tem ficado em silêncio. Os casos de Meningite tem acontecido de maneira endêmica (...) é preciso que a secretária converse com população sobre isso, mostrar e dizer quais as estratégias devem ser adotadas. É preciso ter diálogo nesse momento com a população. Tiraram um secretário que dialogava, colocaram uma secretária que vive viajando assim como o governador'', criticou. 

Por fim, Jenilson Leite criticou também o governador Gladson Cameli que vive ausente do Estado, segundo ele, os bastidores até encontraram um termo para ele; "GOVEFLY" que significaria Governador voador. O comunista comentou que Gladson tem usado as forças para resolver problemas políticos do que os sociais.   

"Nos bastidores, chamam o Governador de GOVEFLY porque o governador vive viajando, parece que tem contrato com a GOl ou LATAM pra viver dentro dos aviões deles. Os conflitos são intensos na política e isso tá consumindo tempo e energia que era pra conduzir os trabalhos no setor de educação, saúde... Vejo que gasta esse tempo e as energias para ver seus problemas políticos resolvidos e deixam a população de lado'', finalizou.