Exonerações: Gladson nega revanchismo e fala em “equilíbrio fiscal”

Por Wanglézio Braga

Horas depois de exonerar 340 comissionados do Governo do Acre em publicação extra do Diário Oficial do Estado (DOE), o governador Gladson Cameli (PP), por meio de sua assessoria, enviou nota aos jornais esclarecendo que as demissões “fazem parte do conjunto de medidas que visam resgatar o equilíbrio fiscal do estado” e não uma espécie de revanchismo após ter vetos derrubados na Assembleia Legislativa durante sessão ocorrida nesta semana.

“Faz-se necessário o esclarecimento acerca da relação institucional do Governo do Estado com a Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac), cujo diálogo com a atual gestão governamental pauta-se pelo respeito e o compromisso com as propostas que visam o bem comum da sociedade acreana, extinguindo retaliações políticas da parte da administração pública estadual”, diz trecho da nota enviada na noite de ontem (19).

Cameli diz ainda que “os vetos dos deputados estaduais referentes a proposta discutida com membros do Poder Executivo sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), foi constatada em reunião ocorrida na tarde desta quinta-feira, 19, um equívoco no diálogo entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo, situação que está sendo reparada de forma pacífica e respeitosa com todos os membros da Casa do Povo”.

E finalizando o comunicado informando que o “Governo do Estado reitera sua disposição em manter uma relação institucional de responsabilidade e governabilidade, além de reconhecer a importância do Poder Legislativo como aliado nas ações que objetivam o equilíbrio das contas públicas para o devido cumprimento das obrigações da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)”.