Márcio e Mailza votaram favoráveis ao Decreto das Armas de Bolsonaro

Por Wanglézio Braga

Em votação realizada ontem (18), os senadores decidiram derrubar o decreto do Governo Bolsonaro que facilitaria a aquisição e o porte de armas. O dispositivo contemplaria vários profissionais. O texto foi derrotado por 47 votos a 28. Os senadores Márcio Bittar, do MDB, e Mailza Gomes, do PP, votaram favoráveis ao decreto. O voto do senador Sérgio Petecão, do PSD, não foi computado nessa votação. A decisão segue para apreciação da Câmara dos Deputados.

Ainda ontem, o presidente Jair Bolsonaro fez um apelo a senadores e a deputados para os parlamentares não deixarem os decretos "morrerem". Após votação, o Bolsonaro publicou em sua rede social: "Por 47 a 28, o Senado derrota nosso Decreto sobre CACs e Posse de Armas de Fogo. Esperamos que a Câmara não siga o Senado, mantendo a validade do nosso Decreto, respeitando o Referendo de 2005 e o legítimo direito à defesa".

No Decreto assinado por Bolsonaro, ficaria permitido que jornalistas, caminhoneiros e outras categorias profissionais andem armados, o texto tinha uma brecha que permitia o porte de fuzis semiautomáticos com alto poder de fogo. Porém, este erro foi corrigido pelo Governo.  

Vale lembrar que o acesso às armas sempre foi bandeira política de Bolsonaro. Apesar de afirmar que a medida tem apoio da sociedade, a última pesquisa Ibope, divulgada no início do mês, apontou que 73% da população é contrária à flexibilização do acesso às armas.