Governo e bancada federal do Acre reforçam luta por ponte do Abunã e recuperação de ramais

O governador Gladson Cameli solicitou, nesta quarta-feira, 17, reforço da bancada federal do Estado junto a dois ministérios: o da Infraestrutura, para encontrar meios para garantir os recursos necessários para a conclusão da ponte sobre o rio Madeira; e o da Economia, para a liberação de R$ 94,6 milhões garantidos em 2017 por meio de emenda de bancada e destinados à recuperação dos ramais do Estado.

Participaram da reunião da bancada os senadores Maílza Gomes, Sérgio Petecão e Márcio Bittar; as deputadas Jéssica Sales, Mara Rocha e Vanda Milani, além dos deputados Alan Rick, Jesus Sérgio e Manoel Marcos.

O governador intercedeu pela conclusão da ponte sobre o Madeira – conhecida como ponte do Abunã e que faz a ligação entre o Acre e Rondônia – junto ao diretor executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre – Dnit, André Khun.

O diretor do Dnit disse que só há 18 milhões para a obra, faltando R$ 20 milhões para a sua conclusão. Cameli luta para que o governo Federal encontre formas de garantir esses recursos e acredita que a ação conjunta da bancada federal e do governo do Estado poderá viabilizar a medida.

A ideia é a mesma em relação ao desbloqueio dos R$ 94,6 milhões da emenda de bancada destinada à recuperação dos ramais do estado. O governador explicou que tem pressa na liberação desses recursos, porque as obras precisam ser licitadas até junho deste ano. Caso contrário, serão perdidos, uma vez que desde 2017 o Estado não apresentou projeto necessário para a recuperação dos ramais utilizando essas verbas.

“Não podemos permitir que os produtores rurais sejam prejudicados”, disse o governador. Ainda nesta quarta-feira, Cameli, acompanhado de integrantes da bancada federal, esteve com o secretário executivo do Ministério da Economia, Marcelo Pacheco, e com a subsecretária do Tesouro Nacional, Priscila Santana, intercedendo para que o Estado não perca esses recursos.

“Estamos tralhando incansavelmente com o Deracre e a Seinfra para não perdermos esta verba tão importante para o desenvolvimento dos nossos interiores”, reforçou o governador.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.