Marina critica Ricardo Salles por deixar o Brasil perder R$ 1 bilhão do Fundo Amazônia

Por Wanglézio Braga

A ex-senadora do Acre e uma das principais ativistas das causas ambientais, Marina Silva (REDE), classificou a atual gestão do Ministério do Meio Ambiente do Governo de Jair Bolsonaro (SEM PARTIDO) como “desastrosa” após a notícia de que projetos de conservação de florestas da Amazônia estão parados por conta da falta de acordo de dois países da Europa com o governo brasileiro sobre o “Fundo Amazônia”.

“O Brasil perdeu mais de 1 bilhão de reais do Fundo Amazônia em 2019 em função da péssima gestão do ministro Ricardo Salles. As consequências foram desastrosas para proteção da Amazônia”, criticou Marina.

Alemanha e Noruega não fizeram os repasses previstos para 2019 e mais de R$ 1 bilhão deixaram de chegar ao nosso país. O investimento europeu foi estancado porque o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, levantou dúvidas sobre a eficiência dos projetos em 2019 e sugeriu mudanças nas regras para o uso dos recursos.

Os dois países também pediram ao BNDES que suspendesse a análise das propostas até o fim das negociações com o Ministério do Meio Ambiente, que não têm prazo para terminar. Assim, o ano terminou sem nenhuma reunião do conselho orientador e nenhum novo projeto aprovado.

Para piorar a situação, um decreto federal colocou fim ao “Comitê Orientador do Fundo Amazônia”. O comitê é quem definia as prioridades nos investimentos e também acompanhava de perto, como uma auditoria, os resultados obtidos.