"Ao acolher o convite do PSDB, coloco-me na posição de servir", diz Minoru Kinpara sobre filiação

Por Wanglézio Braga

Após o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) anunciar uma mega festa para receber a filiação do ex-reitor da Universidade Federal do Acre (UFAC), Minoru Kinpara, que ocorrerá no dia 21, no Hotel Terra Verde, o próprio Kinpara usou as redes sociais, na tarde de hoje (13), para manifestar contentamento com a nova agremiação. Kinpara era da Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, e recebeu na última eleição para Senador da República exatos 112.989 mil votos.

Minoru diz que “a decisão pela filiação ao PSDB é fruto de um diálogo constante com amigos, simpatizantes e familiares. Acredito que as escolhas políticas não são como uma roupa que você veste e em seguida troca por outra. Política é o exercício da cidadania. Nesse sentido, todo caminho e escolha devem ser ponderados, pesados e refletidos. Fui procurado por diversos partidos, por diversas siglas e cores ideológicas. Ouvi a todos – porque ouvir, dialogar e entender – remete ao fazer político como escuta atenta e, principalmente, como prática democrática respeitosa”.

Segundo Minoru, “ao acolher o convite do PSDB, coloco-me na posição que sempre assumi diante da vida, como cristão e como professor universitário – que é servir. Logicamente, que não é servir de qualquer jeito, mas servir com olhar atento, apresentando propostas e entendendo que só é possível buscar mudanças ao se abrir para o novo”.

No final da publicação, o professor universitário citou trechos do livro Grande Sertão Veredas para definir o novo momento no PSDB. Vale lembrar que o ex-candidato a senador vem sendo cogitado para encabeçar chapa do PSDB nas eleições visando a prefeitura de Rio Branco.

“No PSDB tenho certeza que posso fazer muito mais pela minha cidade e pelo meu estado. Nesse ponto, concordo com João Guimarães Rosa, no livro Grande Sertão: Veredas: “O mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam”. Acredito que seja a hora de afinarmos nossos acordes em torno de algo maior e melhor!”, concluiu.