Bestene pode ser o líder do novo governo na Aleac

Antonio Muniz

Pela experiência e a aproximação ao governador Gladson Cameli, seu colega de partido, o deputado José Bestene (PP) pode ser o líder do novo governo na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). 

Indagada sobre o assunto na manhã deste sábado, Bestene preferiu não falar sobre o assunto, disse apenas que ainda e muito cedo e há outras demandas que exigem mais cuidados para não comprometer a governabilidade.

Na pratica, Bestene já vem atuando como líder do governo em algumas ações. Como exemplo podemos citar a retirada da candidatura do deputado Gerlen Diniz (PP) à Presidência da Assembleia Legislativa.

Uma semana antes, Diniz havia afirmado que sua candidatura era pra valer e não iria retirar seu nome da disputa. Mas com calma e humidade, Bestene convenceu o colega de bancada a sair da disputa.

Apesar de ter seu nome lembrado por vários deputados eleitos e reeleitos como opção para a presidência da Aleac, Bestene prefere apagar focos de incêndios na própria bancada do PP e evitar rachas interno no partido.

A retirada da candidatura de Gerlen Diniz e outras articulações que vem sendo feita pelo deputado José Bestene deixam o caminho aberto para a vitória do deputado Nicolau Junior (PP), que já tem apoio formal do PSDB e outros partidos.

Deputado ironiza nota do PT

Presidente regional do PP, partido do governador Gladson Cameli, José Bestene ironizou nota oficial editada pelo PT, acusando o governo progressista de perseguir  servidores. 

“Quem é o PT para falar em perseguição a servidores!”, afirmou Bestene.  O parlamentar lembrou que quem é especialista em perseguição é o PT.
Bestene sugere ao PT que guarde seu arsenal de defesa para responder na Justiça pela desgraceira que fez no Acre, muita coisa já descoberta e muitas ainda por serem reveladas. 

“Ao invés de uma nota que mais parece uma piada, eles deveriam explicar como faliram o Acre, como acabaram com a fábrica de tacos, a de camisinhas, entre tantas coisas”.