''Se o senhor diz que Moro vai pro inferno, lembro que Lula já está lá'', dispara Gherlen a Zen

 

Por Wanglézio Braga 

Os vazamentos das supostas conversas entre o Ministro Sérgio Moro e o procurador Dallagnol sobre julgamento do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também pautou os debates na sessão de hoje (11) da Assembleia Legislativa do Acre (ALEAC). 

De um lado, o deputado Daniel Zen (PT) repudia o ato do ministro que na época era juiz, e do outro, o deputado Gherlen Diniz (PP) que aproveitava para lembrar ao petista que Lula foi processado em todas as instâncias. Ambos, fazendo discursos ácidos, ascenderam ainda mais a polêmica.

Em determinado momento do discurso, o petista Daniel Zen disse que Sérgio Moro deve ir para o ''inferno''. 'Esse aí [Sérgio Moro] não vai pro inferno não, vai queimar nas caldeiras do inferno de Dante'', disparou o petista.

Em resposta, Diniz disse que não pode prejulgar ninguém. ''Deputado Daniel Zen, se o senhor diz que o juiz Sérgio Moro quando morrer vai pro inferno, devo lembrá-lo que o Lula já está lá e faz tempo'', disparou Gherlen e completou ''Não podemos prejulgar ninguém. Defendo que se for criminoso, que ele [Sérgio Moro] seja punido como se deve''.

O deputado Edvaldo Magalhães, do PCdoB, até tentou comentar sobre o caso, mais foi duramente vaiado pelos presentes na Galeria Marina Silva. Eles enalteceram que Lula está preso e que o mais importante é a resolução que possa regularizar o Pró-Saúde.