Jorge Viana e Marcus Alexandre: conversar sim, avaliar a eleição ainda não

O senador Jorge Viana, depois da eleição, tem concentrado seu trabalho em concluir o mandato de senador e organizar o que ele chama de prestação de contas do mandato. Tem dito que o protagonismo agora é dos eleitos e falado em esperar a virada do ano, e até mesmo o carnaval passar, para se fazer uma avaliação mais tranquila do último processo eleitoral. “Qualquer tentativa de fazê-la agora seria um erro. O governo vai até o dia 31 de dezembro e o meu próprio mandato até 31 de janeiro”, ressalta.

O senador tem demonstrado preocupação, especialmente com as pessoas que se expuseram e trabalharam por muito tempo na construção do projeto político da Frente Popular e que agora têm de reorganizar suas vidas. Ele próprio tem deixado claro que vai reorganizar a sua vida, reservando sempre um espaço para a atuação política, mesmo que de maneira discreta. “Entendo que agora é hora dos que ganharam sentar na cadeira, tomar as decisões e mostrar serviço”.

O senador, que promoveu talvez as maiores transformações em Rio Branco e no Acre, como prefeito e ex-governador, afirma sempre que uma boa maneira de promover mudanças, inclusão social e melhorar a vida das pessoas é através da política. O senador também tem repetido que o tempo não perdoa quem faz as coisas sem ele. “É hora de dar tempo ao tempo”, diz Jorge Viana.

Mas o parlamentar tem estimulado que as pessoas conversem e ele mesmo tem tido conversas reservadas. Nesse fim de semana, Jorge Viana reuniu algumas lideranças que ocuparam e ocupam mandatos. Como ele diz, um pequeno grupo de colegas. No almoço, em sua residência, se encontrou com o ex-prefeito Marcus Alexandre, o deputado federal e ex-prefeito Angelim, além dos deputados estaduais Daniel Zen, Lourival Marques e Jonas Lima. A ideia de Jorge é seguir conversando com lideranças, sem que isso implique em fazer uma avaliação da eleição ou tomar encaminhamentos que, para ele, precisam de boas reflexões e a participação de muitos.

"Foi um papo descontraído e também uma hora de a gente fazer valer a amizade que construímos ao longo desses anos. Além de uma história muito bonita construída no Acre, nós temos grandes companheiros, experientes e importantes lideranças políticas. Isso faz uma diferença danada, especialmente nesses tempos de incerteza e de enfrentamentos”, declarou. “Os tempos são de extrema dificuldade para muitos companheiros. Mas é nas horas difíceis que a gente conhece os amigos”.

Quando questionado sobre o resultado das eleições, Jorge Viana afirma que não tem como ficar chateado com aqueles que não votaram nele. “Eles já me ajudaram em outras eleições, certamente. Então é seguir em frente e sem nenhum ressentimento”, afirma. Aliás, o senador tem recebido muitas manifestações de pessoas surpresas com a sua não reeleição e achando que ele poderia ajudar muito o Acre e o Brasil numa hora como essa.

Nesse último fim de semana, em visita ao Jornal A Gazeta, Jorge Viana ressaltou que não basta fazer autocrítica, é preciso ser resiliente. “Temos que ser resilientes e passar por um processo de reinvenção e adaptação, e não de enfrentamento. Fazer autocrítica é pouco... Nós temos é que mudar de verdade”, declarou.

A palavra resiliência ele tem repetido como mais apropriada para esse momento. “Para enfrentar as mudanças climáticas, que vão mexer com a vida no planeta e trazer grandes mudanças e transformações, é preciso ser resiliente. Ou seja, ter um processo de adaptação e mudança de verdade. Resiliência, inclusive, é usada no dicionário para enfrentar má-sorte e mudanças fortes. É o que precisamos agora”, conclui.

 

 

ASSESSORIA

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.