Monitor da Violência: Acre continua entre os estados que mais apresentou redução em mortes violentas

No Monitor da Violência do site G1, os estados do Acre, Ceará e Rio Grande do Norte foram os que apresentaram quedas expressivas no número de mortes violentas entre os meses de janeiro e setembro de 2019. No Acre, a redução foi de 35,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública, coronel Paulo Cézar, esses números não refletem apenas a utilização do policiamento ostensivo que foi reforçado esses meses, mas também as medidas adotadas nos presídios do interior do estado, onde houve expressiva redução de crimes.

“Toda semana o Sistema Integrado se reúne e debatemos estratégias com decisões compartilhadas. A retomada da ordem nos presídios, as operações de prevenção, abordagens e repressão nos bairros com maior índice de crimes e a presença policial nas ruas têm sido de suma importância para essa redução no estado”, destacou.

Paulo Cézar destacou ainda os investimentos realizados por meio dos governos federal e estadual para melhorar a segurança no estado, que também contribuíram para o avanço do serviço prestado pelo Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp).

“Só este ano foram mais de R$24 milhões de investimentos para a Segurança Pública. Além disso, recebemos duas aeronaves e mais de 120 viaturas para todas as forças, que serão distribuídas aos 22 municípios do Acre, bem como a implantação do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), atuando em toda a extensão fronteiriça do estado, para coibir o tráfico de drogas, armas, roubo de veículos e outros crimes de fronteira”, completou.

 Razões para a redução

De acordo com integrantes e ex-integrantes dos governos e entidades de todos os estados brasileiros, algumas medidas explicam essa redução, como por exemplo:

- Ações mais rígidas em prisões, como constantes operações de revistas e implantação do Regime Disciplinar Diferenciado (RDD)

- Isolamento ou transferência de chefes de grupos criminosos para presídios de segurança máxima

- Criação de secretaria exclusiva para lidar com a administração penitenciária

- Criação de delegacia voltada para investigar casos de homicídios

- Integração entre as forças de segurança e justiça

- Maior investimento em inteligência policial adoção de programas de prevenção social.

 

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.