O Rio Branco

Hoje é 25 de Julho de 2017

Policial

Homem mata esposa de 14 anos e restos mortais são encontrados 4 anos depois

21 de Outubro de 2016 às 11:29:29

Um crime bárbaro que aconteceu em 2012, foi elucidado por volta do meio-dia desta quinta-feira, dia 20. Segundo foi levantado com o delegado Roberto Lucena, titular do município de Brasiléia, graças ao trabalhos dos investigadores foi possível chegar ao principal suspeito que seria o esposo da vítima.

Na época, a jovem Luciete de Souza Crizorte tinha apenas 14 anos de idade e já era mãe de uma menina de oito meses de vida. O relacionamento com Rangel da Silva Sales, hoje com 26 anos, estavam vivendo no local, hoje registrado como Bairro José Rabelo.

Na época, segundo foi informado, só havia duas casas, a do casal e a do pai de Rangel. O relacionamento passou a ser problemático e as brigas passaram a ser constantes, resultando em idas e vindas.

Foi quando numa dessas brigas, Rangel teria se apossado de uma faca e feriu Luciete, mas, a teria furado outras vezes até lhe tirar sua vida. Foi quando resolveu escolher um local distante da casa cerca de 400 metros, ao lado de um pequeno riacho e cavou uma cova rasa no meio do mato.

Com o sumiço da jovem, os familiares passaram a procurar, sendo que, Rangel sustentou a história de que ela teria pego suas coisas e ido embora deixando a filha com ele. Não convencendo, uma queixa foi registrada na delegacia.

Luciete tinha apenas 14 anos e deixou uma filha que hoje está com cinco anos - Foto: Arquivo/familiar

Luciete tinha apenas 14 anos e deixou uma filha que hoje está com cinco anos – Foto: Arquivo/familiar

A mentira criada por Gurgel foi sustentada nos últimos quatro anos. Sem um corpo, não poderia ser culpado por um crime sem provas, e o caso caminhava para um esquecimento, até que o delegado e seus investigadores, resolveram faz mais uma tentativa.

Rangel foi a última pessoa a ter visto a jovem com vida e durante conversa, entrou em contradição com a história contada. Foi quando resolveu contar a verdade e levar os agentes até o local onde enterrou o corpo.

Devido o tempo da ocultação do corpo e dificuldades de localizar o local, foi necessário buscar uma máquina retroescavadeira na cidade cedida pela Prefeitura para encontrar os restos da jovem.

Rangel foi detido pelo crime de ocultação de cadáver e o delegado pediu sua prisão preventiva - Foto: Alexandre Lima

Rangel foi detido pelo crime de ocultação de cadáver e o delegado pediu sua prisão preventiva – Foto: Alexandre Lima

Rangel foi conduzido à delegacia, ficando detido pelo crime de ocultação de cadáver, mas, o delegado estaria pedindo pela prisão preventiva à Comarca. Caso não, poderia pagar fiança, já que não foi detido em flagrante e ser liberado para responder em liberdade.

Sem peritos criminais na fronteira, somente com a chegada da Capital, seria possível a remoção no local. Somente por volta das 19h00, os restos mortais da jovem foram retirados do local.

Familiares foram avisados sobre a mãe e uma irmã foram até a delegacia para tomar ciência da localização dos restos mortais da jovem.

 




Compartilhar