Caminheiro que deixaria biscoitos no Acre é preso com 48 comprimidos de rebite em Rondônia

Por Wanglézio Braga

Na última segunda-feira (17) a Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Rondônia, deu voz de prisão a um caminhoneiro, de 36 anos, que saiu de Florianópolis (SC) com destino a capital acreana, Rio Branco, com carregamento de biscoitos. Segundo a polícia, o homem foi flagrado com 48 comprimidos de anfetamina, o popular “rebite” e dirigindo há muitas horas sob o efeito da droga.  

A abordagem de fiscalização ocorreu tarde da noite. Ao obedecer ao sinal da PRF, o motorista que não teve o nome e a inicial divulgada contou que estava há tempos dirigindo e que havia feito uso de cinco comprimidos de anfetamina nas últimas 12 horas. Os policiais encontraram o homem apresentando fala desconexa e confusa. Os agentes realizaram uma busca dentro do veículo e acharam o rebite dentro de um pote de pastilhas.  

O carregamento da mercadoria aconteceu em Florianópolis que fica a quase quatro mil quilômetros do destino final e o homem pretendia seguir viagem sem qualquer pausa.  “Diante da visível alteração na sua capacidade psicomotora, o indivíduo foi preso pelo crime previsto no artigo 306 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e pelo porte de droga para consumo (artigo 28 da Lei de Drogas)”, informou a PRF em nota.

O QUE É O REBITE?

O Rebite, Arrebite ou Bolinha, é a droga que deixa os caminheiros acordados por mais tempo. Essa conhecida droga ilícita é da família das anfetaminas, que agem diretamente no sistema nervoso central e faz com que as capacidades físicas e psíquicas fiquem mais rápidas por um determinado tempo. Mas não é só isso, há muitas reações contrárias e prejudiciais dessas substâncias.

A ação da droga tem um período para ser finalizada, sendo assim, sempre que esse tempo vai chegando ao fim, o motorista ingere uma nova dose do rebite e isso vai se repetindo no decorrer do dia. Para que a eficácia do rebite aconteça como o caminhoneiro quer, é necessário consumir, em média, 20 comprimidos por dia.

Essa quantidade aliada a frequência com que essa substância é consumida faz com que o condutor cria uma dependência e um ciclo vicioso no rebite. O consumo cria uma mistura de sensações no cérebro e, com isso, os reflexos são prejudicados, o que causa a maioria dos acidentes nas vias.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.