O Rio Branco

Hoje é 24 de Novembro de 2017

Policial

Quase 2 mil veículos foram roubados ou furtados em Rio Branco em 9 meses, aponta PM

14 de Novembro de 2017 às 09:25:09

Um levantamento da Polícia Militar do Acre (PM-AC) revela que até setembro deste ano 1.656 veículos foram roubados ou furtados somente em Rio Branco, capital do estado. Desse total, apenas 664 automotores foram recuperados, uma taxa de 40,1%.

Os dados da PM-AC apontam que abril foi o mês com o maior número de roubos e furtos. No total, foram 253 veículos subtraídos. Desses, apenas 56 foram recuperados, 22,1% deles.

Agosto vem logo em seguida, quando 241 motos ou carros foram roubados. Ao todo, 113 (46,9%) voltaram aos proprietários. Em julho, 226 veículos foram roubados e 77 deles recuperados.

Uma empresária da capital, que por questão de segurança não quis se identificar, entrou para essa alta estatística no início deste mês. Há 10 dias ela foi abordada por dois homens na Via Chico Mendes, no 2º Distrito da cidade, e teve o carro roubado.

Ao reduzir a velocidade para não bater em um buraco, dois homens armados se jogaram, a pé, na frente do veículo e abordaram a mulher.

“Eles chegaram com a arma em punhos apontando para mim. Disseram pra eu descer do carro e falaram que não era para eu desligar o veículo. Depois, eles entraram e saíram em alta velocidade com o veículo. Graças a Deus não fizeram nenhuma ameaça e eu estava sozinha no momento. Isso aconteceu por volta de 17h. Eu estava indo resolver alguns problemas naquela região”, lembra ela.

Apesar do assalto, a empresária conseguiu recuperar o veículo. Depois de uma campanha intensa na internet, com descrição da placa, modelo e cor do veículo, o carro dela foi encontrado abandonado por uma pessoa que tinha visto a campanha nas redes sociais. “Digo que quem encontrou meu carro foi um anjo da guarda”, diz.

Segurança

A empresária conta que nunca pensou em colocar um rastreador no veículo ou contratar um seguro para garantir a segurança. Mesmo após o assalto, ela não sabe se vai aderir a alguma dessas alternativas para garantir a proteção do veículo.

“Como foi algo muito recente, ainda estou avaliando se vou colocar rastreador no carro ou contratar um seguro. Estou estudando isso ainda”, afirma.

Gerente comercial de uma empresa que instala rastreadores em veículos na capital, Jhonnatan Souza afirma que a demanda de instalações aumentou em 30% durante o mês de outubro. Já nos 10 dias de novembro, o acréscimo calculado é de 25%, superando o alcançado no mês passado.

“Desse total de aumento, o maior número de instalações são em motos. A procura pelo serviço em carros de passeio quase parou, mas ainda há, porém em quantidade pequena", explica.

Souza diz que a instalação no veículo, seja carro ou moto, é de R$ 60. Depois disso, o cliente paga uma mensalidade de R$ 49,90 para moto ou 59,90 para carro. Ele explica que o rastreador é comandando por um aplicativo no celular.

Além da localização exata do veículo, o rastreador também exerce outras funções em caso de roubos ou furtos.

“A pessoa não paga pelo equipamento e nem uma taxa de adesão, somente instalação e plano. O rastreador pode ser instalado em qualquer lugar do veículo. Em caso de furto, a pessoa liga para a gente e ativamos o rastreador para que ele bloqueie o veículo. Se ele estiver ligado ou em movimento, o equipamento faz com que ele pare e trave no mesmo instante”, finaliza.

 

G1




Compartilhar