Meio Ambiente e Turismo do Acre participam do 14º Encontro Brasileiro de Observação de Aves

O Acre estará presente no AvistarBrasil, o maior encontro de observação de aves do país que acontece entre 17 e 19 de maio em São Paulo. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e a Secretaria de Estado de Empreendedorismo e Turismo (SEET) vão expor as potencialidades do Acre para o turismo de observação de aves, com destaque para o Parque Estadual Chandless, a Área de Proteção Ambiental Igarapé São Francisco, Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Japiim Pentecostes, na região da Serra do Divisor.

Para o secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani, o Acre tem o potencial para ser destaque no AvistarBrasil, dada a sua diversidade de Avifauna. “A Sema reconhece a prática de observação de pássaros, inclusive como viés de desenvolvimento sustentável para o Estado. Vamos apoiar as iniciativas no sentido de ampliar novos horizontes e criar um circuito estadual de observação de aves estruturado nas nossas Unidades de Conservação”, argumentou o secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani.

De acordo com a secretária de Estado de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique, o Acre vai apresentar no AvistarBrasil, as diversas localidades propícias para observação de pássaros. “É um público crescente, que não mede esforços e nem dificuldades para acessar locais que tenham essa diversidade de pássaros para serem avistados. Além de conhecer e divulgar a nossa fauna incrível, a vinda dessas pessoas vai fazer uso de todo o Trade Turístico, desde hotéis, restaurantes, meios de transporte e isso tudo é fortalecimento para a nossa economia”, argumentou a secretária.

O biólogo da Divisão de Áreas Protegidas e Biodiversidade (Dapbio), Ricardo Plácido, vai representar a Sema no evento e espera fomentar ainda mais a vocação do Acre para o turismo de observação de aves. “Divulgaremos as aves do Acre, os trabalhos de prospecção de espécies raras, e a implementação do uso público das nossas unidades de conservação para receber esses visitantes”, disse.

O turismólogo Francismay Moura da Costa vai representar a SEET. Para ele, o mais importante é fazer contatos e trocar experiências para elaborar um roteiro turístico. “Pretendemos fomentar e estimular a observação de aves no nosso Estado e futuramente buscar recursos para melhorar ou mesmo construir uma infraestrutura nesses locais propícios a observar pássaros”, comentou o técnico.

Destaques

Na sua 14ª edição, o Encontro Brasileiro de Observação de Aves oferece programação gratuita que inclui feira, exposições, palestras, oficinas para crianças e adultos, lançamentos de livros, e muitas outras atividades. O evento é realizado em parceria com o Observatório de Aves e o Museu Biológico do Instituto Butantan. A programação completa está disponível no site www.avistarbrasil.com.br.

Os organizadores do evento destacam a presença de experts no turismo de observação como Álvaro Jaramillo autor de diversos livros e pioneiro do turismo de observação na região do Pacífico da América do Sul, Tim Appleton, criador da British Bird Fair, o maior evento global de observação de aves, Rick Prum, ornitólogo e pesquisador de Yale University, e David Lindo, conhecido internacionalmente por explorar a observação de aves nas grandes metrópoles.

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.