Ministério do Meio Ambiente e ONU Meio Ambiente apontam projetos do TJAC como iniciativas com resultados positivos comprovados

Para a seleção das boas práticas, a A3P utilizou um sistema de avaliação embasado nos três pilares da sustentabilidade e em 15 indicadores.

Os projetos Biblioteca Compartilhada e a Horta Compartilhada, ambos de iniciativa do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC), por meio de seu Núcleo Socioambiental Permanente (NUSAP), estão entre as boas práticas de sustentabilidade selecionadas pelo Programa Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), na chamada pública do Ministério do Meio Ambiente e ONU Meio Ambiente, realizada em novembro do ano passado, que envolveu os 5.570 municípios brasileiros.

De acordo com a A3P, para a seleção das boas práticas foi utilizado um sistema de avaliação embasado nos três pilares da sustentabilidade (impacto ambiental, impacto social e impacto econômico) e em 15 indicadores.

A Biblioteca Compartilhada, lançada pelo TJAC em abril de 2018, figura entre os 21 projetos selecionados na categoria gestão de resíduos sólidos, tendo como principais resultados, segundo a avaliação do Ministério do Meio Ambiente e ONU Meio Ambiente, a valorização da reciclagem e reutilização de materiais, bem como a promoção da leitura e do acesso aos livros, a custo zero.

 

 

 

Já a Horta Compartilhada, com atividades iniciadas no início do mês de setembro do ano passado, foi selecionada na categoria qualidade de vida dos servidores, com o plantio e manejo de 500 mudas em 10 canteiros feitos com pneus reciclados ou garrafas pet avaliado como principal resultado, também a custo zero.

 

 

Confira os pilares da sustentabilidade e seus 15 indicadores que nortearam a avaliação:

IMPACTO AMBIENTAL

1. Ciclo de vida dos produtos utilizados (consideram-se os impactos da obtenção de matéria-prima, manufatura, venda, consumo e destinação final)
2. Nível de emissão de carbono na implementação
3. Nível de consumo de água na implementação
4. Impacto para o local
5. Impacto do resíduo gerado e disposição final

IMPACTO SOCIAL

6. Nível de participação social
7. Inserção na cultura e política institucional
8. Benefícios para servidor público
9. Benefícios para comunidade
10. Benefícios para as relações sociais na administração pública e com a comunidade 

IMPACTO ECONÔMICO

11. Custo para aquisição de produtos/serviços
12. Custo para implementação
13. Tempo de implementação e duração dos resultados alcançados
14. Custo para descarte do resíduo gerado
15. Disponibilidade geográfica e de quantidade