Pesquisador da Ufal afirma que aquecimento é uma mentira global

ANTONIO MUNIZ

Em entrevista ao programa Boa Noite Rio Branco, nesta quinta-feia, na TV Rio Branco-SBT, o doutor Luiz Carlos Molion, professor e pesquisador da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), afirmou que, ao contrário do que muitos afirmam, não existe aquecimento global.

Molion estava acompanhado do senador Marcio Bittar (MDB-AC) que, juntamente com o governador Gladson Cameli (PP) convidaram o cientista a visitar o Acre para proferir três palestras sobre Amazônia, Clima Global e desenvolvimento Regional.

A primeira palestra foi realizada no plenário da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), na manhã desta quinta-feira. A segunda foi na noite de quinta, na Uninorte e, a terceira, na manhã desta sexta-feira,29, no auditório do Sebarae.  

Paulista da capital, Luiz Carlos Molion é um meteorologista brasileiro. professor e pesquisador da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), doutor em Meteorologia e pós-doutor em Hidrologia de Florestas.

Marcio Bittar lembrou que Molion é um dos principais representantes no Brasil do negaciosismo climático, alegando que o homem e suas emissões de gases estufa na atmosfera são incapazes de causar um aquecimento global”, afirma o senador.

Ainda segundo Bittar, o doutor  Molion, este sim, especialista no estudo do clima, costuma chamar a atenção para os enormes buracos metodológicos na pseudociência que nos alarma com a cantilena de que as emissões de gases do efeito estufa, provocadas pelo homem, aquecerá o planeta a níveis insuportáveis.

Molion afirma  que este alarmismo não se sustenta à luz da ciência e demonstra claramente, em linguagem acessível. Ele é duramente contestado por outros cientistas que atende aos interesses de países desenvolvidos e, ao que parece, querem emperrar o desenvolvimento do Brasil e de outras nações.

Segundo Marcio Bittar, o ouvir o doutor  Molion, assim como Ricardo Felício e outros grandes cientistas céticos brasileiros é, no mínimo, abrir os olhos para ver o outro lado, o lado da verdade e da realidade. Ele agradeceu ao governador Gladson Cameli (PP)por ter convidado Molion a proferir palestras no Acre.

Mais sobre o doutor Molion

Além de ser doutor em Meteorologia e pós-doutor em Hidrologia de Florestas, Molion também possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1969), PhD em Meteorologia, University of Wisconsin, Madison (1975), pós-doutorado em Hidrologia de Florestas, Institute of Hydrology, Wallingford, UK (1982) e foi fellow do Wissenschaftskolleg zu Berlin, Alemanha (1989-1990).

Por muitos anos, foi pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, diretor da área de ciências espaciais e atmosféricas em 1985 e diretor associado em 1986, ano em que co-coordenou um projeto de pesquisa sobre a Amazônia em parceria com cientistas da Nasa.

Foi diretor da Fundação para Estudos Avançados no Trópico Úmido em Manaus, professor palestrante convidado da Western Michigan University de 15 a 30 de janeiro de 2001, e delegado do Brasil na 15ª reunião da Comissão de Climatologia da Organização Meteorológica Mundial em 2010.