Civis do Acre protestam contra "privilégios'' aos militares proposto por Bolsonaro

Por Wanglézio Braga 

Policiais Civis do Acre realizaram na manhã de hoje (25) uma paralisação, de advertência, para cobrar inclusão de benefícios proposto pelo Governo Bolsonaro aos militares na Reforma da Previdência. O presidente do Sindicato dos Políciais Civis do Acre, Tibério Sérgio, diz que o manifesto local aderiu ao movimento nacional e que este foi o primeiro de muitos atos a serem realizados no país, nos próximos dias. 

"Queremos chamar a atenção do governo federal, neste momento de projeto da reforma da previdência e que vem  criando um paralelo entre os militares e os civis, o que traz prejuízos para os policiais e suas famílias. Acredito que deveria ter uma ação unificada e não diferenciadas pois todos trabalhamos na segurança pública bem como sofremos riscos como qualquer outros operadores da segurança'', comentou

Caso o Governo Federal consiga aprovar a reforma da previdência dando "privilégios'' aos militares, cerca de 800 civis podem ficar de fora quanto a vários benefícios.  

Um novo ato já foi marcado para ocorrer desta vez em Brasília, no dia 02 de julho onde todos os presidentes dos sindicatos devem participar. Do Acre, uma comitiva composta por 18 civis devem aderir ao movimento.