Prefeitura de Rio Branco vacina pessoas em situação de rua

Uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Rio Branco, chamada “Consultório de Rua”, saiu às ruas nessa terça-feira, 24, para vacinar pessoas que moram ou que estão em situação de rua contra o vírus da influenza, que causa um dos tipos mais comuns de gripe. Ao todo, foram cerca de 15 pessoas vacinadas na Praça da Revolução e na Praça do Memorial dos Autonomistas.

Essas pessoas, pelas condições em que vivem, também são consideradas do grupo de risco para as gripes e para o covid-19, doença causada pelo coronavírus que está causando pandemia que já afeta a capital acreana.

“Todos os nossos esforços estão voltados para a vacinação das pessoas do grupo de risco prioritário, que são os idosos e profissionais de saúde. Identificamos, porém, que essas pessoas em situação de rua se encaixam na qualificação de grupo de risco e, por isso, colocamos o programa Consultório na Rua para ir até eles oferecendo-lhes a vacina já nesta primeira fase da campanha de vacinação contra a influenza”, disse o secretário da Semsa, Oteniel Almeida.

A vacina contra a influenza não é eficaz contra o covid-19, mas, ao proteger contra a gripe, evita que as pessoas estejam com o organismo mais debilitado, o que facilitaria a ação do vírus no corpo humano. Além disso, também facilita a identificação de covid-19 ao se descartar o diagnóstico de gripe em casos suspeitos.

Oteniel lembrou que a Campanha Nacional de Vacinação deste ano foi antecipada justamente para ajudar no combate ao novo coronavírus. A primeira etapa da campanha teve início na segunda-feira, 23, com a Vacina no Carro e Vacina em Casa.

A Vacina no Carro é realizada no local onde funcionava o pátio de vistoria do Detran, na Avenida Nações Unidas, em frente ao 7º BEC. Já para a Vacina em Casa, as equipes estão tomando como base o cadastro dos Cras e estão percorrendo os abrigos em toda a cidade.

A Prefeitura de Rio Branco também disponibilizou o telefone 3224-4269 para atender chamados para vacinação de idosos que não estão cadastrados nos Cras.

A segunda etapa da campanha tem início no dia 16 de abril com a vacinação de doentes crônicos, professores (rede pública e privada) e profissionais das forças de segurança e salvamento.

A terceira etapa inicia no dia 9 de maio, com a vacinação de crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes e até 45 dias após o parto, pessoas com deficiência, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

 

ASSESSORIA


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.