Fumaça dificulta decolagem de avião no interior do Acre: 'visibilidade muito ruim', diz piloto

Um forte nevoeiro formado pela fumaça das queimadas fez passageiros e tripulação de um voo que saiu do Jordão para Marechal Thaumaturgo, cidades do interior do Acre, esperarem cerca de uma hora para seguir viagem. A situação ocorreu na quinta-feira (22).

O voo estava previsto para decolar às 7h do aeródromo da cidade do Jordão, mas por causa da densidade da fumaça só foi possível por volta das 8h.

Ao G1, o piloto Ricardo Lima, da empresa Rio Branco Aerotáxi, contou que a cena é comum neste período de estiagem, porém, tem se intensificado. Lima levava dois passageiros do Jordão para Marechal Thaumaturgo.

“Tinha a previsão de decolar, mas não tinha condições e tivemos que aguardar. O interessante é que a densidade da fumaça é muito forte, demorou para o aeródromo e a pista ficarem em condições ideais”, complementou.

Ele reclamou que a falta de visibilidade tem trazido transtornos. "No dia anterior [quarta,21], estava em Santa Rosa e lá amanheceu também assim. Em Marechal Thaumaturgo o tempo está um pouco melhor, mais limpo do que lá no Jordão. Muito provavelmente, vai amanhecer do mesmo jeito. [nevoeiro] Aumenta mais por causa da fumaça, que é o que mais prejudica, a visibilidade está muito ruim", lamentou.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que, de janeiro até 20 de agosto, o Acre registrou 2.498 queimadas, sendo que 2.123 focos foram registrados somente em agosto - entre os dias 1º e 20.

 

G1