Acre cumpre nova etapa para a retirada da vacina contra a febre aftosa

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf) está realizando a sorologia de febre aftosa em 17 propriedades rurais do estado distribuídas nos municípios de Rio Branco, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul. Serão colhidas amostras de sangue de, aproximadamente, 500 bovinos e realizadas inspeções clínicas e conferências de rebanho, visando a nova condição sanitária.

O objetivo do estudo coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é comprovar que não existe a transmissão do vírus da febre aftosa nessas regiões. A metodologia utilizada e os resultados obtidos irão compor o relatório que será enviado à Organização Mundial da Saúde Animal (OIE). A seleção das propriedades foi feita por amostragem e abrangerá 995 estabelecimentos rurais em todo o Brasil, com cerca de 50 mil bovinos.

A ação representa a última etapa antes de a proposta do estado ser encaminhada, em agosto, ao grupo ad hoc de febre aftosa do Comitê Científico da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), que irá avaliar o atendimento das condições necessárias para reconhecimento internacional das áreas como livres de aftosa sem vacinação.

O médico veterinário, José Francisco Thum, presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (IDAF), ressalta que as propriedades rurais foram selecionadas pelo Mapa e que vários fatores serão avaliados. Segundo ele, estão sendo tomadas todas precauções para prevenção da covid-19, seguindo as normas sanitárias definidas pelas autoridades da área de saúde.

“A ação começou nesta terça-feira, 19 de maio, com prazo estipulado para término dentro de um mês. Vale lembrar que a defesa agropecuária executa atividades de caráter essencial e os técnicos responsáveis pela ação cumprirão todas as medidas estipuladas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), no que diz respeito a prevenção da covid-19”.

José Francisco Thum destacou que os técnicos do IDAF estão entregando em cada propriedade, aos envolvidos na ação de coleta, peões e fazendeiros, um kit prevenção ao covid-19 que consta de 1 frasco álcool gel, 2 pares luvas descartáveis e 2 máscaras, sendo essas doadas pela Secretaria de Produção e Agronegócio (SEPA).

O presidente ainda ressaltou a motivação, competência e determinação dos técnicos do Instituto de Defesa em executar os trabalhos, sendo que algumas propriedades são de difícil acesso, utilizando-se de barcos “voadeiras”, como nos casos em que se gastam dois dias subindo os rios Tarauacá e Envira, em Feijó, para  cumprir com as determinações do Mapa.

No Acre, a expectativa pela elevação do status sanitário é muito grande, tendo o governo do estado, por meio do Idaf, feito grandes investimentos nos últimos meses, em parceria com o Fundo de Desenvolvimento da Pecuária (Fundepec), para a melhoria das unidades de defesa agropecuária no Acre.

“Estamos todos empenhados e seguindo a firme determinação do governador Gladson Cameli, em tornar o Acre zona livre de aftosa sem vacina”, concluiu o presidente do Instituto de Defesa acreano.

 

Agência Brasil


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.