O Rio Branco

Hoje é 30 de Maio de 2016

Geral

Botija de gás ficará mais cara a partir da próxima terça-feira em todos os Estados

20 de Março de 2017 às 14:55:02

O preço do gás de botijão (GLP) vai subir a partir desta terça-feira. Segundo a Petrobras, a alta chega a até R$ 0,20 por botijão de 13 quilos. A estatal explicou que “os contratos de fornecimento com vigência a partir de 1º de novembro refletirão mudanças na composição de preços de logística”. Porém, de acordo com outra fonte do setor, a expectativa é que alguns distribuidores aumentem ainda mais o preço para o consumidor final.

“Na prática, está se reduzindo subsídios às distribuidoras de GLP. É um movimento semelhante ao que foi realizado há dois anos para os contratos de fornecimento de diesel e gasolina”, disse a estatal em nota, acrescentando que o impacto estimado sobre os preços do botijão de 13 kg (uso residencial) é de R$ 0,20 por unidade, na média do país.

Se, de um lado, o gás de botijão ficará mais caro, de outro, o preço da gasolina no Rio teve recuo médio de 1,68% na semana passada, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo. O preço passou de R$ 3,969 para R$ 3,902. No Brasil, o preço médio da gasolina registrou queda de 0,05%, de R$ 3,671 para R$ 3,669.

No caso do diesel, o valor no Rio, caiu 0,73%, de R$ 3,122 para R$ 3,099. No Brasil, ficou estável, em R$ 3,008. Já o preço do etanol avançou. No Rio, o valor por litro passou de R$ 3,294 para R$ 3,302, alta de 0,24%. No Brasil, subiu 2,83%, de R$ 2,684 para R$ 2,760.

Há duas semanas, a Petrobras anunciou redução do preço de gasolina e diesel nas refinarias, mas, na semana seguinte, o valor subiu nos postos. Para analistas, queda atual reflete a concorrência nos postos.

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, explicou que o aumento do preço do GLP ocorreu porque a estatal decidiu acabar com a política de subsídios cruzados na logística. Parente participou da cerimônia que marcou o fim do mandato de Magda Chambriard como diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

— Não houve reajuste de preços do GLP. O que a Petrobras está fazendo é permitir que a gente possa eliminar subsídios cruzados dentro da logística e permitir investimentos. Havia empresas que usavam a logística e pagavam por isso. Havia outras empresas que não usavam a logística e pagavam. É isso não é justo e não estimula investimentos. O impacto é de 1% do preço do botijão — disse Parente.

O Globo




Compartilhar