Após tiroteio, Sesacre suspende atendimento ambulatorial na UPA da Cidade do Povo

Por Wanglézio Braga

A Administração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade do Povo anunciou a suspensão dos atendimentos ambulatoriais por tempo indeterminado. O motivo? A violência desenfreada que culminou em danos ao prédio que deixou em pavor os trabalhadores da unidade bem como aos pacientes que aguardavam por atendimento. Agora, os profissionais vão atender apenas situações de Urgência e Emergência.

Na noite desta quinta-feira (16), Antônio José de Oliveira da Conceição, de 39 anos, morreu após receber vários tiros. O crime aconteceu na calçada do prédio da unidade. A motivação do assassinato ainda está sendo investigado pela polícia, mas tudo indica que seja mais um confronto de membros de facções. Antonio foi atendido na UPA, os tiros acertaram a região do tórax, pesco e membros inferiores.

Segundo a equipe do governo, os serviços completos da UPA só vão voltar após os reparos na unidade. Sobre o reforço da segurança no prédio, o

"A medida se dá por conta de avarias na unidade, obrigando aos profissionais a isolar parte de suas dependências. Essa condição acarretou na interrupção do atendimento a pacientes em situação de menor risco, aqueles que poderiam ser servidos pelas Unidades Básicas de Saúde, mas que acabam recorrendo às UPAs", diz a nota enviada pelo governo às redações do Jornais.

A Secretaria de Saúde (SESACRE) não comentou se o local vai ou não receber reforço policial.