Prefeitura vai expandir “Teste da Mãezinha” em Rio Branco

A Prefeitura vai ampliar o programa de proteção as gestantes no município de Rio Branco, através do “Teste da Mãezinha”. O trabalho articulado da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), desenvolvido na Policlínica Barral y Barral, disponibiliza 2.412 atendimentos mensais para gestantes, entre os quais consultas de pré-natal, exames laboratoriais, ultrassonografia obstétrica, além do “Teste da Mãezinha”, que, fazem parte do conjunto de ações do município voltadas à atenção e cuidado do binômio mãe e filho durante o pré-natal.

Gestantes residentes na cidade de Rio Branco, por iniciativa da prefeita Socorro Neri, têm o direito de realizar gratuitamente a triagem das doenças Toxoplasmose, Hepatites B e C (pela importância de possíveis sequelas nos casos de transmissão vertical), e a Eletroforese de Hemoglobina, que é um exame realizado para medir e identificar os diferentes tipos de hemoglobina que podem ser encontrados no sangue, cujo resultado pode identificar hemoglobinopatias, que na gravidez, podem ser graves.

O “Teste da Mãezinha”, oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde na Policlínica Barral y Barral desde agosto do ano passado, será ampliado para as demais Unidades de Referência a partir da próxima semana. Para isso, profissionais da área, participaram de uma capacitação, na tarde desta terça-feira,14, no auditório do Barral y Barral.

Segundo a coordenadora de regulação, controle e avaliação da Semsa, Sulamita Guedes, o “Teste da Mãezinha” foi implementado pela Prefeitura para auxiliar na qualidade da assistência e detecção precoce às doenças de transmissão mãe/filho, podendo assim, evitar óbitos maternos e também a mortalidade infantil.

Dessa forma, buscando ampliar ainda mais o bem estar das gestantes acompanhadas na rede municipal de saúde a esse exame, a Secretaria Municipal de Saúde, fará nesta sexta-feira, dia 17 de maio, a partir das 9 horas, o lançamento oficial da ampliação do acesso ao “Teste da Mãezinha” na URAP Vila Ivonete.

 

 

ASSESSORIA


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.