Morre em Santa Cruz um dos pilotos mais respeitados da região: Aníbal Arab Fadúl

Por Wanglézio Braga

A aviação regional está de luto. Morreu ontem (14), aos 84 anos, o capitão Aníbal Arab Fadúl, o primeiro piloto boliviano nascido em Cobija e um dos mais respeitados profissionais do oeste da Amazônia. Fadúl, que nasceu em 10 de agosto de 1935, veio para o Brasil no ano de 1935 para se formar em piloto de avião. Estudou aviação em Macapá (AP) e após um período, retornou para a região de Brasiléia, Epitaciolândia, no Acre e Cobija (Bolívia) para servir como piloto profissional e também posteriormente professor.

Aníbal foi um dos mais respeitados profissionais que atuou na região tanto que mesmo em vida recebeu inúmeras homenagens e reconhecimentos. Uma das provas de maior condecoração está no Aeroporto de Cobija, que recebe o seu nome como forma de agradecimento pela dedicação e trabalho no setor aéreo daquela cidade.

Em 1988, após 42 anos servindo na aviação nacional boliviana através da Lloyd Aérea Boliviana (LAB), Fadúl anunciou aposentadoria. Em 31 de outubro de 2007, o Presidente Evo Morales, com todo o seu gabinete, promulgou a Lei nº 3758, que ratifica a designação de "Capitão da Aviação Civil Árabe Fadul" para o aeroporto da cidade de Cobija, como reconhecimento e homenagem "ao ilustre pandino, pioneiro da aviação civil em nosso departamento".

Aníbal morreu em Santa Cruz de La Sierra vítima de parada cardíaca. Há muito tempo, ele sofria com uma doença no coração o que forçou a mudar de residência. Antes de ir para Santa Cruz, ele vivia com a família em Cochabamba.

O estado de Pando decretou luto oficial. Mesmo com o pesar, o comércio continua aberto para turismo. Nas ruas, a população lamenta a morte do piloto. Nas redes sociais, diversas mensagens póstumas revelam a gratidão e o lamento pela morte do piloto.

O governador de Pando, Luis Adolfo Flores Roberts, disse que o capitão foi e sempre será um orgulho para o seu povo. “Ele foi o primeiro piloto de aviação civil pandino, estando em serviço há 42 anos, pilotando todos os tipos de aeronaves, principalmente as LAB e sempre carregando o nome do nosso departamento. Seus ancestrais chegaram à Bolívia no início do século XX, tornando Cobija sua grande casa, a partir daí ele teve a possibilidade de voar o mais alto que sua imaginação permitia, e ele voou alto viajando pelos céus do mundo. Hoje, com muita tristeza, devemos aceitar Aníbal que nos deixou fisicamente, mas que ele sempre ficará conosco. Há um ditado que diz "eu sou, até que você me esqueça" e Aníbal estará presente não apenas em nossos corações, mas também na história de Pando, em seu povo e em nosso aeroporto, onde ele sempre será lembrado”, escreveu.  

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.