Em última agenda na COP 25, Gladson Cameli conclama empresários a investirem no Acre

Gerar emprego e renda com responsabilidade ambiental foi o tom do governador Gladson Cameli em evento do Instituto da Terra, em Madri

Em uma de suas últimas agendas na Conferência do Clima da ONU, a COP 25, o governador do Estado do Acre, Gladson Cameli, participou de uma discussão de ‘mesa redonda’ promovida pelo Earth Innovation Institute, sobre os potenciais econômicos dos estados da Amazônia, e do Mato Grosso, com responsabilidade ambiental.

O evento, no centro de convenções do Hotel Tryp Alameda Aeroporto, em Madri, foi mediado pelo americano Daniel Nepstad, que é presidente do Earth Innovation e que já havia manifestado a sua satisfação, ainda em maio deste ano, na Colômbia, ao ver o interesse do estado do Acre de crescer economicamente com atenção à sustentabilidade.

Sobre essa consciência ambiental manifestada enfaticamente pelo governador Gladson Cameli por onde passa nas grandes conferências, Nepstad afirmou que “todos os sinais indicam que estamos entrando numa etapa [em favor de um mundo mais correto ambientalmente]”.

“O mundo acordou para a mudança climática. Acordou para o fato de que temos que cortar pela metade as emissões [de gases que provocam o aquecimento global] em todo o globo até 2030. Só assim, evitaremos uma mudança climática de proporções catastróficas. E isso é impossível sem vocês nos estados”, ressaltou Daniel Nepstad.

Além de Cameli, o vice-governador do Mato Grosso, Otaviano Pivetta, também foi mencionado pelo Earth Innovation como líderes de uma nova geração de homens públicos preocupada com o meio ambiente.

Estado pronto para uma agricultura sustentável

Em sua fala, o governador Gladson Cameli fez uma breve explicação sobre a localização geográfica estratégica que se encontra o Acre, a pouco mais de mil quilômetros dos portos peruanos do Oceano Pacífico e que o estado está pronto para receber empresários que queiram empreender com respeito à legislação ambiental.

“O nosso estado está pronto para uma agricultura sustentável, respeitando todos os acordos, normas e a legislação ambiental nacional. Hoje, temos dois milhões de hectares abertos, sem a necessidade de desmatamento. Mas queremos gerar emprego e renda”, destacou Cameli.

E completou o governador: “O Acre quer uma oportunidade de mostrar para o mundo que temos, sim, a capacidade de receber todos que queriam investir no nosso estado. E falo com muita propriedade porque venho da iniciativa privada e minha opinião é a de que temos um potencial imenso para o agronegócio com sustentabilidade”.

Participaram ainda da ‘Mesa Redonda do Earth Innovation’, Elza Mendonça, que é coordenadora do Instituto no Acre, o chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade, o secretário de Meio Ambiente, Israel Milani, o secretário de Ciência e Tecnologia, Anderson Abreu, o secretário-adjunto de Planejamento, Jarbas Anute, a secretária de Comunicação, Silvania Pinheiro, além do presidente do Instituto de Mudanças Climáticas (IMC), Carlito Cavalcante, e seus diretores, o presidente do Imac, André Hassem, o presidente da Fundação Elias Mansour, Manoel Correia e a deputada federal Wanda Milani.


Agência