O Rio Branco

Hoje é 15 de Julho de 2018

Geral

SENAI e SESI apresentam Cidade Inteligente e Escola do Futuro durante a Olimpíada do Conhecimento

11 de Julho de 2018 às 09:37:27

O futuro é o presente

Você já imaginou ter um espelho virtual que ajuda a escolher a melhor roupa para sair de casa? Já pensou na comodidade de se ter uma geladeira que sinaliza itens que faltam e ajuda a fazer deliciosas receitas? Ou ir a um centro de saúde para imprimir um gesso anatômico que pode ser molhado? Essas e outras tecnologias da Indústria 4.0 estão mais perto do que se imagina e foram apresentadas na Olimpíada do Conhecimento, que foi realizada entre os dias 5 a 8 de julho, em Brasília.

O evento, promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e pelo Serviço Social da Indústria (SESI), mostrou inovações que prometem melhorar a qualidade de vida e revolucionar a educação. Mais de 46 mil pessoas visitaram a Olimpíada do Conhecimento - que ocupou uma área de 25 mil metros quadrados do Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB). Não há dúvida de que a corrida tecnológica vem impactando fortemente as profissões em diversos países do mundo, criando, inclusive, novas atividades para atender a uma demanda crescente do mercado que busca se atualizar frente aos concorrentes. 

Segundo o diretor nacional do SENAI, Rafael Lucchesi, que também é superintendente do SESI, o intuito da Olimpíada foi mostrar a necessidade de a indústria inovar constantemente para melhorar a qualidade de vida da população, ser mais eficiente no uso de recursos naturais e gerar melhores empregos e renda. "Estados Unidos, Alemanha, Japão, Coreia do Sul e China estão à frente  neste movimento global de inovação tecnológica. Esses países têm políticas públicas que impulsionam a competitividade das grandes empresas globais e lideram essas novas tecnologias. Mas, o Brasil tem um parque industrial moderno e temos segmentos que irão incorporar essas novas tecnologias. É incipiente, mas já é uma realidade", afirmou Lucchesi.

Na visão do diretor do SENAI, no domínio das tecnologias 4.0, a educação assume papel central. "Por isso, no evento, apresentamos inovações usadas em salas de aula do SESI e SENAI para formar o profissional do futuro e prepará-lo para lidar com um mundo dinâmico de constantes e rápidas transformações”, disse Lucchesi. A Olimpíada do Conhecimento foi visitada por autoridades do Brasil e do exterior e contou com a presença de acreanos - diretores da Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC) e por 35 colaboradores do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial. "Tomamos a decisão de levar essa quantidade de funcionários da instituição em razão do resultado do prêmio da regra de desempenho, onde o SENAI acreano foi o vencedor e que - ate então, nunca tinham tido oportunidade de participar deste tipo de evento", explicou César Dotto - diretor do SENAI/AC. Durante quatro dias, os visitantes puderam conhecer a Cidade Inteligente, que demonstrou tecnologias que promovem o uso eficiente de recursos, a redução dos impactos ambientais e a melhoria da qualidade de vida das pessoas; e a Escola do Futuro, que objetiva desenvolver nos alunos competências e habilidades para lidar com a Indústria 4.0.

Inteligência artificial

Na Cidade Inteligente, os visitantes tiveram contato com tecnologias avançadas em espaços como prefeitura, centro de saúde, indústrias, posto de combustível, restaurante, horta, museu e até em uma casa inteligente. As pessoas puderam conhecer desde um bueiro com sinalizadores de entupimento até faixa de pedestre que muda de cor para sinalizar aos motoristas que há pessoas atravessando a rua.

No Eco Posto, o destaque foi a tecnologia de recarga elétrica de veículos por energia solar e carro e moto elétricos. Houve, ainda, um sistema interligado do posto com uma linha de produção, que produz e entrega peças de automóveis. No centro de saúde, equipamentos de última geração como robô que realiza cirurgias, impressora de gesso biodegradável 3D - produzidos com plástico biodegradável a partir do bagaço da cana de açúcar, milho e beterraba, são anatômicos e podem ser mergulhados em água - chamaram a atenção do público. Sem falar da pulseira com localizador para pacientes com Alzheimer - que garante mais precisão e conforto e menos riscos aos pacientes.

Na indústria da construção, foram apresentados equipamentos de segurança e saúde no trabalho como roupas com sinalização de esforço repetitivo e uma máquina que aspira e armazena pó para prevenir doenças respiratórias. No espaço gastronômico, chamado Gourmet tech, foram produzidas bolachas, salgados, panquecas e espumas em café por impressoras 3D. Em uma mesa digital, foram preparadas pizzas para degustação.

Espaço Moda

O grande destaque da Cidade Inteligente foi o espaço da moda, que contou com uma planta piloto de confecção 4.0, desenvolvida pelo Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil (CETIQT) do SENAI, que produziu, na hora, peças sob medida aos participantes, cujas medidas do corpo eram levantadas por um espelho virtual. No equipamento, também eram informados o modelo desejado, as estampas e o tipo de tecido, por exemplo.

"Isso é a quarta revolução industrial. A pessoa não vai escolher as opções da loja com roupas pré-determinadas. O cliente terá uma peça exclusiva, que será usinada em tempo real e será produzida por um indústria totalmente automatizada e a entrega será feita por drone na casa, na loja ou no hotel, por exemplo - de acordo com a necessidade do cliente. Foi esta realidade que demonstramos na Olimpíada do Conhecimento", reforçou Lucchesi.

A presidente do Sindicato da Indústria de Confecção do Estado do Acre, Raimunda Holanda de Paula, participou do evento e ficou impressionada como a inovação tecnológica está presente na vida dos cidadãos. "Apesar de a nossa realidade ser bem distante dos alemães, por exemplo, acredito que o Brasil pode avançar bastante nesta agenda, desde que as autoridades e os empresários estejam atentos e dispostos a fazer as mudanças necessárias para que o país acompanhe a quarta revolução industrial", argumentou.

Casa inteligente

Outra atração foi a casa que apresentou desde equipamentos do dia a dia das pessoas embutidos com alta tecnologia até sistemas inteligentes mais sofisticados. No quarto, por exemplo, foi apresentado um guarda-roupa com simulação virtual de vestuário, janela digital que simulou paisagens de ambientes externos reais, travesseiro ergonômico feito com copos e sacolas de plástico e pulseira que avaliava a qualidade do sono das pessoas.

Na sala de estar, em uma tela touch foi possível fazer espelhamento de celular com games, chamada de voz, internet, entre outros. Além disso, um robô interagia com participantes por voz. Na cozinha, haverá demonstração de eletrodomésticos inteligentes de última geração, como uma geladeira que informava quando itens estavam faltando e simulava a compra diretamente com o supermercado.

No banheiro, havia sistema de reaproveitamento de água para o jardim. O jardim da casa inteligente contava com um robô para cultivo de flores e plantas e a casa do cachorro podia ser controlada remotamente pelo dono e possuía um sistema de alimentador automático.

Escola do Futuro

Para o desenvolvimento das cidades inteligentes, a Olimpíada do Conhecimento mostrou a importância de métodos e tecnologias inovadoras também na educação. Para isso, na Escola do Futuro, os visitantes conferiram o Espaço Maker, em que os participantes colocaram a mão na massa para criar produtos com auxílio de diversas tecnologias, das mais simples, como martelos e serrotes, às mais sofisticadas, como drones e impressoras 3D. Nesse espaço, também foram apresentados trabalhos desenvolvidos por estudantes do SESI e SENAI.

De acordo com o diretor de operações do SESI, Paulo Mól, por trás de todos esses processos pedagógicos, é possível desenvolver competências linguísticas, matemáticas, científicas e tecnológicas, além de habilidades socioemocionais pelo estímulo ao trabalho em equipe. “Nesses espaços, é possível desenvolver ainda produtos e processos que trarão mudanças significativas para a indústria nacional”, complementou.

Para a colaboradora Raimunda Braga, que trabalha há 27 anos no SENAI do Acre, participar deste evento foi um grande privilégio. "Tive a impressão de que fomos teletransportados para um futuro presente. Sempre trabalhei motivada, mas hoje sinto-me mais feliz e capacitada para falar sobre a indústrias 4.0", falou emocionada "O SENAI foi decisivo na industrialização do Brasil nos anos 1940 e, neste momento, é igualmente fundamental para inserir o país na quarta revolução industrial”, reforçou a presidente da FIEAC em exercício, Adelaide de Fátima,

Novas profissões

O mercado de trabalho vai se transformar diante da quarta revolução industrial. Novas profissões como engenheiro de cibersegurança, técnico em informação e automação, mecânico de veículos híbridos e projetista para tecnologias 3D devem surgir e se consolidar no mercado nos próximos cinco a dez anos, de acordo com trabalho realizado pelo SENAI. A previsão é que surjam 30 novas ocupações em oito áreas que devem sofrer o maior impacto da chamada indústria 4.0.

 

AUTOMOTIVO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

• Mecânico de veículos híbridos

• Mecânico especialista em telemetria

• Programador de unidades de controles eletrônicos

• Técnico em informática veicular

• Analista de IoT (internet das coisas)

• Engenheiro de cibersegurança

• Analista de segurança e defesa digital

• Especialista em big data

• Engenheiro de softwares

ALIMENTOS E BEBIDAS

MÁQUINAS E FERRAMENTAS

• Técnico em impressão de alimentos

• Especialista em aplicações de TIC para rastreabilidade de alimentos

• Especialista em aplicações de embalagens para alimentos

• Projetista para tecnologias 3D

• Operador de High Speed Machine

• Programador de ferramentas CAD/CAM/CAE/CAI

• Técnico de manutenção em automação

CONSTRUÇÃO CIVIL

QUÍMICA E PETROQUÍMICA

• Integrador de sistema de automação predial

• Técnico de construção seca

• Técnico em automação predial

• Gestor de logística de canteiro de obras

• Instalador de sistema de automação predial

• Técnico em análises químicas com especialização em análises instrumentais automatizadas

• Técnico especialista no desenvolvimento de produtos poliméricos

• Técnico especialista em reciclagem de produtos poliméricos

TÊXTIL E VESTUÁRIO

PETRÓLEO E GÁS

• Técnico de projetos de produtos de moda

• Engenheiro em fibras têxteis

• Designer de tecidos avançados

• Especialista em técnicas de perfuração

• Especialistas em sismologias e geofísica de poços • Especialistas para recuperação avançada de petróleo

O trabalho foi feito a partir do Modelo SENAI de Prospecção, metodologia que permite prever quais serão as tecnologias utilizadas no ambiente de trabalho em um horizonte de cinco a dez anos.

"A importância da educação e da educação profissional em uma agenda de futuro no Brasil dialoga com esse conjunto de novas tecnologias que vai transformar a vida das pessoas.  O SENAI está preparado para ser parceiro da indústria em mais esta agenda. O empresário que tiver interesse pode acessar o site www.senai40.com.br", garantiu César Dotto - diretor do SENAI no Acre.

 




Compartilhar