Falha de operadora compromete atividades no Complexo O Rio Branco

Antonio Muniz

Por falha técnica da NET, uma das empresas que operam no mercado de inernet, telefonia e tv por assinatura, o Complexo de Comunicação O RIO BRANCO está sendo prejudicado e impedido de prestar sérvio de melhor qualidade aos seus leitores e telespectadores. 

O problema atinge as três empresas do grupo, principiam-te o portal www.oriobranco.net. que precisa de internet rápida para atualizar os conteúdos jornalísticos e comerciais. Tal fato prejudicou o desemprenho do portal, que não foi atualizado durante o dia, a TV que não teve sua programação local disponibilizada e a edição do Jornal O Rio Branco, que foi feita por meio de outra operadora, tida como “plano B” do complexo.

Segundo o coordenador do Departamento de Tecnologia da Informação das três empresas (Jornal, TV e portal), Elton Figueiredo os problemas foram verificados na manhã de quinta-feira, 10, e de imediato levado ao conhecimento da NET. Inicialmente, a empresa alegou que tratava-se de um problema geral, mas deferia ser solucionado em poucas horas.

Ao fim da tarde, a OI, restabeleceu o sistema, mas a NET não voltou a operar. Elton Figueiredo manteve contato outra vez com a NET e ficou surpreso ao saber que a visita técnica só deveria ocorrer na manhã de sábado, no intervalo das 8h às 11h. “Resumindo: podemos ficar sem o serviço até o fim da manhã de sábado”, afirma Elton.

Além de não fornecer a internet com a mesma capacidade que é negociada com seus clientes, a NET apresenta constantes problemas e  não tem a devida estrutura para atender a demanda quando é solicitada por problemas técnicos, sobretudo no que se refere ao serviço de internet ou de TV por assinatura.

Apesar de não ser a campeã em termos de reclamações dos usuários entre os órgãos de proteção aos consumidores, a NET é tida como um das piores quando solicitada para resolver problemas que atingem seus clientes.  No caso especifico do Complexo O RIO BRANCO, a empresa alegou que a demora ocorre em função da estrutura técnica que é incompatível com a grande demanda.