Bancada do Acre pede inclusão do estado no Plano Nacional de Segurança Pública

O Deputado federal Alan Rick (DEM) participou na tarde desta terça-feira, 10, de reunião da Bancada do Acre com o Ministro-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, General Luiz Eduardo Ramos. A pauta principal foi a inclusão do Acre no Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS). O coronel Ulysses, da Polícia Militar do Acre e hoje lotado na SENASP, também participou da reunião.

A inclusão do Acre no Plano, de acordo com Alan Rick, é fundamental para reduzir a violência ocasionada pela atuação das facções criminosas no estado desde 2012. Por fazer fronteira com a Bolívia e o Peru, o fortalecimento das ações de segurança pública objetiva reduzir a violência e incrementar o combate ao tráfico de drogas em todo Brasil.

“Somos um estado fronteiriço. Estamos do lado do Peru e da Bolívia, em um extenso corredor desprotegido que tem servido para o tráfico internacional de drogas. Infelizmente não temos o apoio necessário das forças nacionais de segurança para proteger nossa fronteira e combater os traficantes, razão pela qual a inclusão do Acre no Plano Nacional de Segurança Pública se faz fundamental”, destaca Alan Rick.

O Ministro Ramos deu garantias à bancada de que irá tratar pessoalmente do tema com o Ministro da Justiça, Sérgio Moro, por entender que cuidar do Acre é cuidar do povo brasileiro. Ele se comprometeu também a priorizar liberação de emendas de parlamentares acreanos diante da gravidade da situação no Estado. Segundo Ramos, a equipe técnica do Ministério está acelerando a liberação dos restos a pagar de vários ministérios para viabilizar recursos para o estado do Acre o quanto antes.

Os parlamentares acreanos aproveitaram a audiência com o Ministro Ramos para reclamar da não inclusão do Acre na lista das prioridades de implantação de um Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), prometido pelo ministério da Justiça ainda em 2015. Outro tema que foi abordado na reunião refere-se à redução da maioridade penal, que é pauta do governo Bolsonaro e hoje depende da aprovação no Senado. Na Câmara dos Deputados, Alan Rick votou a favor da redução da maioridade penal nos casos de crimes hediondos.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.