Após censura, faturamento chega a triplicar em estandes na Bienal do Livro

O faturamento em alguns estandes na Bienal do Rio de Janeiro cresceu após a tentativa do prefeito Marcelo Crivella de recolher exemplares de uma história em quadrinhos que tem a imagem de dois homens se beijando.

O estande da editora Valentina, por exemplo, passou de R$ 12 mil em faturamento em 2017 para R$ 35 mil neste ano.

Cerca de 600 mil pessoas visitaram a Bienal neste ano, que ocorreu entre 30 de agosto a 8 de setembro. A estimativa da Bienal é que mais de 4 milhões de livros tenham sido vendidos. As informações são da Folha de São Paulo. 

A alta no faturamento não estaria relacionada apenas a livros com temática LGBT, mas a todos os títulos da feira. Alguns livros nesta temática, no entanto, registraram crescimento. As obras da editora Intrínseca tiveram alta de 18% nas vendas. Já seus livros LGBT registraram aumento de 100% a 600% nas vendas.

No sábado (7.set.2019), 100 mil pessoas passaram pelo evento, número o recorde de visitação nesta edição. Isso se deve também porque o youtuber Felipe Neto distribuiu 14 mil livros com temática LGBT como resposta à ação de Crivella, o que resultou em filas de visitantes para receber obras grátis.

Disputa judicial

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, cassou neste domingo (8.set.2019) a decisão emitida pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que permitia a apreensão de livros na Bienal do Rio de Janeiro.

O ministro atendeu a pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Ainda no domingo, o ministro Gilmar Mendes proferiu decisão semelhante ao analisar medida cautelar requerida pela organizadora da Bienal. A Prefeitura do Rio anunciou que recorrerá das duas decisões.

Entenda o caso

Na última 5ª feira (5.set), o prefeito Marcelo Crivella determinou o recolhimento de exemplares da história em quadrinhos “Vingadores, a cruzada das crianças”, por ter a imagem de 1 beijo entre dois personagens masculinos.

A organização da Bienal informou que não iria retirar os livros e que dá “voz a todos os públicos”.

Na 6ª feira (6.set.2019), os exemplares do livro que estavam à venda em diferentes estandes da Bienal se esgotaram em pouco mais de meia hora.

 

 

Poder 360


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.