Bittar afirma que que governos do PT mergulharam Brasil em profunda crise

ANTONIO MUNIZ

Em entrevista aos programas Bom Dia Rio Branco e Boa Noite Rio Branco, nesta quinta-feira, ambos na TV Rio Branco-SBT, o senador Marcio Bittar (MDB-AC), afirmou que o a gastança desenfreada e o festival de corrupção, dos governos do PT, mergulharam o Brasil em uma profunda crise. “Estamos em uma crise econômica sem precedentes. E quem nos colocou nessa foram os governos desonestos  do PT”, afirmou o senador.

Márcio afirmou que sob os anos do PT, a participação do Brasil na economia mundial caiu de 3,1%%, em 2003, para 2,9% em 2015.  O Brasil isolou-se do mundo. Rendendo-se ao bolivarismo de Chávez e ao Kirchinerismo de Cristina, ficou preso ao Mercosul e não fez acordos comerciais com o resto do mundo.

Com Bolsonaro na presidência, segundo Bittar, o Brasil se aproximou mais dos Estados Unidos e com outras potenciais mundiais como a China e Arábia Saudita que deverão fazer grandes investimentos em vários setores da nossa economia. “Bolsonaro colocou o Brasil no centro das atenções”, afirmou.

Além disso, segundo Bittar, o governo conseguiu reduzir o índice de desemprego, saindo dos quase 15 milhões, em dezembro de 2018 para cerca de 12 milhões em outubro. Segundo o senador, o governo conseguiu resgatar a credibilidade unto aos investidores que voltaram a acreditar no Brasil e fazer novos investimentos.

Bittar acredita que o Brasil  do Presidente Jair Bolsonaro vai começar o ano de 2020 bem melhor do que o fim de 2018, que registrava inflação crescendo, a taxa Selic em alta e o desemprego cegando aos 15 milhões. “Em dez meses, o Presidente Bolsonaro conseguiu colocar a taxa Selic em 5,5, a  menor da nossa história e pode fechar o ano em menos de 5%.

Defensor de reformas

Marcio Bittar, é assumidamente, defensor das reformas que o Brasil precisa e deve fazer para voltar a crescer e superar as crises, sobretudo a administrativa, a da Previdência Social e novo Pacto Federativo, do qual foi designado como relator .

Segundo Bittar, a máquina pública brasileira precisa ser diminuída para se tornar mais eficiente e transparente. “As empresas estatais têm servido apenas para satisfazer vaidades pessoais de grupos políticos corruptos que confundem público com privado”, afirma.

Marcio entende que se não houver reforma da Previdência, a situação vai se agravar e não haverá ajuste fiscal. Isso não só no governo federal, mas também nos estados e municípios. O Brasil está passando por um processo de envelhecimento muito rápido. Sem a reforma, segundo o senador, será impossível um ajuste fiscal no Brasil.

Relator do Pacto Federativo

Designado pela presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), senadora Simone Tebet (MDB-MS), como relator da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que debater um novo Pacto Federativo, Marcio Bittar afirma que  o Brasil vai corrigir enormes distorções e ser mais justo com Estados e Municípios.

Para o senador acreano, a proposta é essencial ao desenvolvimento econômico do país. O pacto federativo, para ele, é o primeiro passo para “modernizar e fazer o Brasil avançar”. O texto da PEC do pacto federativo traz mudanças na divisão de recursos de União, Estados e municípios e prevê, entre outros pontos, a descentralização de recursos do pré-sal, a criação de um Conselho Fiscal da República e medidas de desvinculação, desindexação e desobrigação do Orçamento.

“Isso significa muito mais recursos, que hoje são concentrados na União, indo para municípios e para os Estados do Brasil. Estima-se que cerca de R$ 400 bilhões em um período de 10 a 15 anos. O pacto federativo é dinheiro indo para prefeitura e Estado, que são os locais onde as pessoas são atendidas na saúde, na educação e na segurança pública”,disse o senador.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.