"Pai" da verticalização do PS, Binho Marques repudia bolos servidos por Gladson Cameli

Por Wanglézio Braga

O ex-governador Binho Marques (PT) não gostou dos bolos que foram feitos em homenagem à inauguração da verticalização do Pronto Socorro. Na realidade, ele repudiou o “tom” tido como debochado do atual governo para com os dez anos de atraso para entregar a obra.  O projeto do prédio verticalizado do Pronto Socorro surgiu no ainda Governo de Binho Marques e deveria ser entregue dois anos depois, mais por questões “burocráticas” seguiu pelos dois mandatos de Tião Viana, do PT, sem ser inaugurado.

Na solenidade de entrega ocorrida nesta terça-feira (06), bem na entrada do prédio, o governo colocou à disposição dos convidados dez bolos que simbolizavam o tempo total da obra. Em cada bolo, estava escrito os anos que foram precisos para entregar à popular o prédio, a começar por 2009.

Para fixar nas mentes dos presentes que os Governos do PT não conseguiram simplesmente inaugurar a obra, o próprio governador Gladson Cameli (PP) e o senador Sérgio Petecão trataram, entre uma fala e outra, de comentar sobre a herança petista. O governador, no púlpito cerimonial, declarou que foi presenteado pelo Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Estado do Acre (Sindpan-AC) com as iguarias e disparou: “Enfim, desenterraram a cabeça do burro deixada pelo PT”.

A reação veio em seguida quando o próprio ex-governador Binho Marques repudiou a homenagem e acusou Gladson de inaugurar uma obra ainda inacabada. “Entristeço quando vejo um governo brincar com coisa séria, especialmente com a saúde pública. Saí do governo no final de 2010, no mesmo ano que dei início a essa importante obra. Deixei adiantada, com recursos e sem entraves. Vejo, pelas fotos, que o atual governador está inaugurando uma obra ainda inacabada. Acho que ele sim merece lindo e simbólico bolo”, escreveu Binho Marques em sua rede social ainda na noite de ontem.