Vai cair tudo, afirma governador sobre crise na Saúde e inoperância na Sepa

Antonio Muniz

Em entrevista coletiva à imprensa, em Cruzeiro do Sul, onde estava na manhã desta segunda-feira, o governador Gladson Cameli (PP) explicou os motivos pelos quais os secretários Paulo Wadt, de Agronegócio e Mônica Feres, de Saúde serão demitidos.  “Recursos temos, falta gestão”, afirmou.

O governador afirmou ainda que as mudanças serão profundas nas duas pastas. Não serão demitidos apenas os secretarios, mas também os detentores de cargos estratégicos. “Vai cair tudo”, afirmou o governador. “Não vou esperar o último dia de meu governo para dizer que não conegui resolver os problemas”, voltou a afirmar o governador.

Desde sexta-feira, quem está no comando interino da Sesacre é o secretário de Articulaçao Politica, Alysson Bestene, que foi secretáerio de Saúde nos seis primeiros meses de governo. Ele tem a missão de resolver, parcialmete, os problemas da pasta até a nomeação do substituto de Mônica.

Ainda em Cruziro do Sul, o governador falou sobre o novo secretário de Saíde. Não citou nome, mas afirmou que será um profissional do setor. “Pode ser até um porteiro, mencionou o governador. Entreos cotados estão o ex-presidentee da Fundhacre, Lúcio Brasil e o também médico, Carlos Beirute.

Mudança na Sepa

O governo vai oficializar a demissão do secretário de Agronegócio, Paulo Wadt nos proximos dias e anunciar o médico VeterinarioEdivan Maciel como o novo titular da pasta. Ele encontra-se viajando a Portugal, fazendo especialização e deve retonar na próxima semana.