Observatório diz que deputados acreanos atuaram negativamente na pauta das Mudanças Climáticas

Por Wanglézio Braga

Quais sãos os parlamentares preocupados com a pauta da mudança climática e como os contrários têm atuado no congresso nacional? Essa pergunta é respondida pelo Observatório do Legislativo Brasileiro (OLB) que produz informações e análises qualificadas sobre o comportamento dos deputados em relação ao tema “Mudanças Climáticas” na legislatura 2015/2018.

Segundo as análises, os parlamentares acreanos ocupam a sétima colocação dos menos preocupados com a pauta ambiental perfazendo um total de 57% no número total da bancada que atua de forma negativa quanto o assunto à preocupação com o meio ambiente.   

“O resultado de nossa análise revela importante correlação entre esses grupos e estados de forte presença do agronegócio. O método do ranking OLB mede tanto como o parlamentar se posiciona, quanto a intensidade de seu engajamento. Assim, é possível observar não apenas as preferências programáticas dos congressistas, como o quanto efetivamente atuam em sua defesa”, informa o boletim do OLB.

O grupo publicou no mês passado um ranking que mostra quem está mais engajado com o tema e quem não está preocupado, além de quais são as barreiras políticas ao avanço da agenda legislativa que visa a reduzir os impactos das mudanças climáticas causadas por ação humana.

Os resultados impressionam. Os deputados do Tocantins, 100% no total, são os que mais foram contrários à pauta. Somente em um estado, o Espírito Santo, houve maioria de parlamentares que atuaram a favor da referida agenda. No Sergipe houve empate, mas nos demais, a bancada de atuação negativa superou a de atuação positiva.