Corinthians foge no aeroporto, mas encara protesto no CT, e grupo conversa com jogadores

O Corinthians bem que tentou escapar da torcida no retorno a São Paulo depois da derrota para o CSA nesta quinta-feira. Depois de deixar o aeroporto sem passar pelo saguão, porém, a equipe foi recebida por protestos no CT Joaquim Grava, e um grupo de torcedores teve acesso aos atletas.

Os torcedores esperaram o ônibus do time na entrada principal do centro de treinamento, onde eram acompanhados de perto por um policiamento reforçado a pedido do clube.

No momento da passagem do veículo, os torcedores ofenderam os atletas e cobraram aos gritos de: “Bando de c..., tem que ser homem para jogar no Coringão”.

O grupo seguiu em frente ao CT, tentando permissão para entrar no local. Depois de conversa com seguranças do clube, um primeiro torcedor teve o acesso liberado. Depois, outros oito também tiveram o ingresso permitido para conversar com atletas, comissão técnica e dirigentes.

O presidente Andrés Sanchez, que concedeu entrevista coletiva na noite de quarta-feira e cobrou principalmente os jogadores pelo momento do time, não estava no local.

Mais cedo, a Gaviões da Fiel, principal torcida organizada do Corinthians, havia se manifestado através de nota oficial prometendo cobrança. “Até para a loucura, há limite”, escreveram.

O momento é de forte pressão sobre o técnico Fabio Carille, que ainda tem como trunfos contra uma eventual demissão a multa rescisória de seu contrato e o fato de ainda contar com o apoio dos principais líderes do vestiário – fato também citado por Andrés na quarta.

Sem vencer há sete partidas, a equipe alvinegra, sétima colocada do Campeonato Brasileiro, volta a campo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), contra o líder Flamengo, no Maracanã.

 

ESPN