Galo supera o Estrelão nos pênaltis e leva o returno

Numa decisão de turno sem gols, ocorrida na noite desta terça-feira (16), no estádio Arena da Floresta, o Atlético Acreano superou Rio Branco somente na disputa das cobranças penalidades e, assim, conquistou o título do returno do Campeonato Acreano e a segunda vaga acreana à próxima edição da Copa do Brasil, além de cota de participação de pouco mais de meio milhão de reais.

Com o triunfo, o Galo Carijó diante do arquirrival Rio Branco, o Galo vai à busca do seu nono título estadual contra o Imperador Galvez. O primeiro duelo será na próxima sexta-feira (19), às 17h, no estádio Arena da Floresta. O duelo decisivo ocorre três dias depois, dia 22, às 19h, no mesmo local.

Jogo

O duelo começou com adrenalina das duas equipes lá em cima, isso pela importância que jogo tinha para a saúde financeira das duas agremiações.

O primeiro lance de perigo saiu de uma bola parada de Doka Madureira, mas o goleiro Miller mandou para escanteio, aos 7 minutos.

Com o Rio Branco adotando marcação alta, o Galo tinha dificuldades na saída de bola, assim com a bola não chegando limpa no ataque celeste.

O primeiro lance de perigo a favor do Atlético-AC saiu também de bola parada aos 13 minutos. O zagueiro Gabriel ganhou no jogo aéreo e testou com violência para o gol alvirrubro, mas o arqueiro Edivandro fez espetacular defesa à queima roupa.

Com o jogo pegado e com as duas defesas não dando espaço, o Rio Branco respondeu numa obra bola parada de Doka Madureira, mas o goleiro Miller espalmou para o lado e, na sobra, Kanu isolou o lance.

Também de bola parada o Galo deu a resposta aos 28 minutos. Diogo mandou a bola na área do Rio Branco, o zagueiro Douglas ganhou da defesa alvirrubra e testou sem direção.

Cinco minutos depois, aos 33 minutos, o atacante celeste Stênio testou a bola na grande área do Estrelão e o goleiro Edivandro espalmou para escanteio, numa outra grande defesa.

O jogo terminou com muitas reclamações do banco do Galo, após uma dividida entre o atacante Doka Madureira e o lateral esquerdo Igor. O jogador celeste ficou caído sentindo dores na perna esquerda, mas o árbitro Antonio Moreno interpretou jogada normal.

Jejum de gols prosseguiu

Na volta dos vestiários as duas equipes voltaram a mostrar dificuldades de furar os bloqueios das defensivas, assim com a partida ficando bastante truncada.

Insatisfeito com o desempenho da arbitragem, o técnico Álvaro Miguéis acabou expulso. Discordando da decisão o treinador resolveu invadir o gramado, mas foi contido pelo auxiliar Márcio Cristiano. O policiamento foi acionado e o treinador foi conduzido a comandar o seu time das arquibancadas.

O jogo prosseguiu com o Galo apertando na busca do gol e o arqueiro alvirrubro Edivandro trabalhou bem em duas oportunidades, numa delas Stênio fintou a marcação estrelada e chutou forte para mais uma defesa de Edivandro.

O Rio Branco respondeu em grande estilo, aos 31 minutos. Chay fez grande jogada pela direita e finalizou cruzado, mas a bola pegou no pé da trave do gol celeste.

A última oportunidade de gol a favor do Galo saiu aos 46 minutos. Matheus Damasceno aproveitou sobra de bola, mas acabou chutando sobre o gol de Edivandro.

No apagar das luzes, o Rio Branco-AC respondeu numa bola parada. O zagueiro Rafael entrou por trás da zaga celeste e finalizou com dificuldade para a defesa do arqueiro Miller.

Pênaltis

Nas penalidades, o Galo Carijó levou a melhor e venceu por 4 a 3. Geovane, Falque, Gabriel e Diogo converteram as cobranças a favor do Atlético. Everton Boca, Laécio e Chay fizeram os gols do Rio Branco. Os jogadores alvirrubros Doka Madureira e Kinho desperdiçaram suas cobranças, enquanto o volante celeste Marquinhos perdeu o seu tiro livre.

 

 

MANOEL FAÇANHA