Fórmula 1: Hamilton torce por Interlagos na disputa contra construção de novo autódromo no Rio de Janeiro

O GP do Brasil acontece neste fim de semana, em São Paulo, mas o futuro do evento na Fórmula 1 não está garantido. Interlagos só tem contrato até 2020, e o Rio de Janeiro já manifestou interesse em sediar a prova em 2021. Se depender de Lewis Hamilton, entretanto, nem haverá discussão.

"Honestamente, vai muito dinheiro em construir um autódromo. Não é necessário derrubar mais floresta tropical, o dinheiro pode ir para uma causa melhor. O governo tem muita coisa para fazer aqui. Ainda há muita pobreza no país. Se fosse meu dinheiro, colocaria numa causa melhor, como a educação, que é chave. Na minha equipe (Mercedes), tem poucos engenheiros do Brasil, deveria haver mais", disse o piloto em evento da Petronas nesta quarta-feira.

O autódromo planejado pelo Rio de Janeiro, com apoio do presidente Bolsonaro, seria construído com recursos da iniciativa privada na região de Deodoro, onde atualmente existe uma floresta. O projeto é fortemente criticado por ambientalistas.

"O país é tão bonito, a floresta é tão importante para o nosso futuro, para o controle do clima, precisamos focar nisso. Não terão meu apoio. O Rio é um lugar muito bonito, quero passar mais tempo lá, mas não num circuito que vai derrubar florestas", explicou o hexacampeão mundial.

"Eu não acho que mudança é algo sempre ruim, mas eu sou da velha guarda, amo o circuito de Interlagos. Com os carros hoje, ele parece um pouco curto. Queria que tivesse uma versão mais longa, como a antiga. Temos que manter as pistas clássicas, e essa é uma clássica", disse o atleta da Mercedes.

"Quando estou na reta de Interlagos, lembro do Ayrton Senna. Espero que o GP fique", completou Hamilton.

O GP do Brasil acontece a partir do dia 15 de novembro, com os treinos livres. A corrida é no domingo, dia 17.

 

ESPN