Brasil não suporta ritmo, perde para os EUA e está fora do Mundial de basquete

O Brasil tentou, deu trabalho, mas não conseguiu vencer os EUA e acabou eliminado do Mundial de basquete da China. Com 16 pontos de Kemba Walker, os norte-americanos venceram por 89 a 73 e avançam para as quartas de final.

Depois de ver a Grécia - também classificada - bater a República Tcheca, o time brasileiro precisava "apenas" de uma vitória para avançar às quartas de final, mas, com a derrota, se despede da competição com os mesmos 8 pontos dos gregos e dos checos no Grupo K.

A seleção perdeu o treinador Aleksandar Petrovic ainda no começo do 2º quarto. Depois de uma falta não marcada sobre Varejão, o croata reclamou, invadiu a quadra, recebeu sua segunda falta técnica e foi automaticamente expulso.

Mesmo assim, com o auxiliar Cesar Guidetti no comando, o Brasil seguiu brigando com os EUA. O armador Vítor Benite saiu bem do banco de reservas antes do intervalo, e a seleção chegou a empatar o placar em 33 a 33.

Mas perdendo por apenas quatro pontos no começo do 2º tempo, o Brasil não conseguiu segurar o ritmo norte-americano. No 3º quarto, que foi o ponto alto brasileiro nas três primeiras partidas do Mundial, os EUA abriram vantagem e encaminharam a vitória.

Nos 10 minutos finais, a distância cresceu ainda mais e terminou em 89 a 73.

Benite foi o cestinha da seleção na derrota com 21 pontos, e Varejão também teve boa atuação, com 14 pontos e 8 rebotes. Pelos EUA, além de Kemba, o pivô Myles Turner também marcou 16 pontos.

A derrota do Brasil também garantiu EUA e Argentina na Olimpíada de 2020. A seleção ainda pode conseguir vaga para os Jogos de Tóquio, mas terá de vencer um dos quatro torneios pré-olímpicos que serão disputados no ano que vem - com seis equipes em cada. 

 

 

ESPN