Pelé reprova atitude de Neymar na Copa e fala sobre seu estado de saúde

Aos 78 anos de idade, Pelé ainda é a maior referência do planeta quando o assunto é futebol. Sendo assim, o Rei demonstrou uma certa decepção com Neymar e revelou uma conversa particular com o camisa 10 da Seleção Brasileira, que recebeu fortes críticas após o fracasso na Copa do Mundo da Rússia, sendo acusado de simular faltas em excesso e não render o esperado.

- De vez em quando, troco ideia com o pai dele. Encontro para gravar comerciais. Ficou difícil defender o Neymar por todas essas coisas que ele faz além de jogar futebol. E eu conversei com ele, disse que futebol ele tem. Ele deu azar porque a Seleção não ganhou a Copa e ele ficou marcado. Estive duas vezes com ele na Europa, a gente conversou e eu expliquei isso. "Pô, futebol Deus te deu o dom. O que você fez é que complicou - contou Pelé, em entrevista à Folha de São Paulo.

- A crítica foi injusta à Seleção. Na minha maneira de entender, a equipe não se conhecia tanto assim, não estava tão formada. Tivemos o azar de perder. Se tivesse vencido, tudo passava batido. Isso é coisa do futebol - completou.

Pelé também comentou sobre seu estado de saúde. Após passar por três cirurgias, algo que o tirou da Copa do Mundo de 2018, ele afirmou que está se recuperando, não sente mais dor, porém reconhece que ainda está fraco. O maior jogador da história do futebol ainda revelou que deixará de usar a bengala em duas semanas.

- Estou bem. Fiz três cirurgias nos últimos anos, mas não estou 100%. Não sinto mais dor, sinto mais fraqueza. Eu tinha umas pernas bonitas, olha como estão agora. Operei duas vezes o quadril e uma vez a coluna porque houve desgaste. Também tem o joelho. Até brinquei. Disse que joguei futebol por 30 anos, 25 no Santos e cinco no Cosmos. Deus só mandou a conta agora. Nos 30 anos de futebol não tive contusão. Estou fazendo fisioterapia e em duas semanas vou deixar a bengala - disse o Rei, acrescentando em seguida:

- No próximo Mundial quero ir e assistir, se Deus quiser. Vou pendurar a chuteira para poder ficar em casa e aproveitar a família. Meus filhos estão adultos. Brinquei com o Tite: 'Se você continuar de treinador da Seleção, a próxima Copa vai ser a última que vou jogar. Depois disso, não me convoca mais'.

Na próxima Copa, em 2022, a Seleção Brasileira vai completar 20 anos sem conquistar o torneio. Se aproximando do maior jejum de sua história, quando ficou 24 anos sem levantar a taça de campeão do mundo - entre 1970 e 1994. Pelé acredita que as demais seleções evoluíram, mas ressalta que a Amarelinha ainda é temida por seus adversários.

- Que os outros melhoraram, não tem dúvidas. Eles aprenderam com a gente. Tanto que a preocupação de jogar contra a Seleção Brasileira é a mesma. O Brasil tem uma base que todo mundo respeita. O que tem de acontecer é não desperdiçar o respeito que o resto do mundo tem com a gente - expôs.

Grandes jogadores do futebol atual, como Xavi e Iniesta, se referem à Messi como o maior jogador da história. Contudo, entre os próprios argentinos, ainda há um interminável debate para saber quem é melhor, o atual camisa 10 do Barcelona ou Diego Armando Maradona. Pelé conta como reage a essas comparações e aponta o melhor entre os dois 'hermanos'.

- Questão de gosto. Há pessoas que acham isso. Tem gente que faz comparação com coisa que nem tem. Como pode fazer comparação de um cara que cabeceia bem, chuta com a esquerda, chuta com a direita, com outro que só chuta com uma perna, só tem habilidade, não cabeceia bem? Como pode comparar? Para comparar com o Pelé tinha de ser alguém que chutasse bem com a esquerda, chutasse bem com a direita, fizesse gol de cabeça. Para mim, o Maradona foi um dos melhores que teve. Você vai me perguntar: ele foi melhor que o Messi? Foi, pô. Muito melhor. Teve Beckenbauer, Cruyff. Jogadores excelente - afirma o Rei.

Por fim, o craque enalteceu a qualidade do francês Kylian Mbappé, um dos destaques da seleção que conquistou a última Copa, com apenas 19 anos, e dispensou comparações. O Rei recebeu uma montagem, colocando lado a lado os feitos alcançados por suas seleções, na primeira Copa do Mundo que disputaram. 

Após a conquista mundial da França, Pelé deu a seguinte declaração sobre o jovem atacante: 'Se o Mbappé continuar a igualar os meus recordes assim, eu vou ter que tirar a poeira das minhas chuteiras novamente'. 

Mbappé não demorou para responder: 'O Rei sempre continuará sendo um Rei'.

- Estão me comparando com o Mbappé. É parecido, né? Mas ele já tem 19. Ele ganhou a Copa. Isso me mandaram mais de sacanagem, mas ele estava me homenageando. Pô, faz 40 anos que parei de jogar. Não sei onde arrumaram esta foto porque estamos parecidos, quase com a mesma idade. Acho que Neymar é mais jogador que ele, mas na Europa todo mundo fala mais do Mbappé - finalizou Pelé.

 

Lance


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.